???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/10203
Tipo do documento: Dissertação
Título: Indústria cultural, educação escolar e currículo: a contradição ocultada e o desinteresse dos alunos pela educação formal
Autor: Silva, César Augusto Alves da 
Primeiro orientador: Cortella, Mario Sergio
Resumo: Há, nos dias atuais, numa quantidade extremamente expressiva dos alunos do ensino fundamental e médio das escolas públicas do Estado de São Paulo, atitudes que demonstram um verdadeiro desinteresse pela educação formal. Tal desinteresse é observável quando objetivado na sala de aula em comportamentos tais como: recusa a realizar atividades relacionadas à leitura, escrita e análise de qualquer conteúdo; violência contra professores, prédios escolares e seus próprios colegas; indisciplina e despreocupação com notas baixas. Para mim, essas atitudes são as manifestações externas e aparentes de um processo sócio-cultural oriundo de uma configuração econômica específica que se totalizou e, com isso, sub-repticiamente subtraiu o poder social dos homens. Desta forma, a razão interna da atual formação sócio-econômica é voltada não aos homens, mas a ela mesma. Esta, não necessitando de indivíduos escolarizados, mas sim de consumidores, somente fomenta a produção destes últimos. Acreditamos que analisar as atitudes e resultados negativos dos alunos das escolas públicas do Estado de São Paulo sem levar em consideração a formação social, econômica e cultural na qual eles estão imersos, principalmente quando fora da instituição escolar pública, é um erro estrondoso. Nosso problema de pesquisa é entender como a formação econômica, social e cultural contemporânea se erigiu e se organizou para chegar ao ponto de influenciar os alunos e causar neles o desinteresse pela educação formal. Estudar as causas do desinteresse dos indivíduos pela educação formal e demonstrar que elas são oriundas do próprio cenário econômico e social que amiúde exorta esta própria forma de educação como remédio para todos os males , é, no mínimo, revelador da esparrela da contradição social. Mais ainda, é uma prova da reificação social que abarcou toda e qualquer teoria que insista na possibilidade de uma emancipação por meio da educação geradora de inclusão que por si só, é uma contradição não apenas em termos, mas na própria realidade capitalista. Para conseguir chegar a este nível de compreensão do atual cenário de desinteresse dos alunos pela educação formal, contamos com as idéias e os conceitos de teóricos como Marx, Adorno, Marcuse, Benjamin e Horkheimer. Estes pensadores foram fundamentais, em nosso caso, para a elevação de um fenômeno humano e social (o desinteresse dos alunos) a objeto de estudo verificável e, principalmente, compreensível em suas origens. Baseamo-nos em relatos orais de experiências vividas em sala de aula, pelo autor e por colegas professores de nossa região de trabalho, pois são relatos orais que vivenciam (portanto, empiricamente) a situação de desinteresse dos alunos pela educação formal nas escolas públicas do estado de São Paulo. Todavia, a fonte principal para nossa investigação foi a própria voz dos alunos, apresentada em entrevistas realizadas na escola em que o autor do presente estudo leciona. Portanto, nossa hipótese neste trabalho é a de que o conteúdo e forma da cultura engendrada pelo capitalismo industrial produtor de mercadorias, e imposta a cada segundo aos indivíduos, é diametralmente oposta à cultura necessária e inerente à educação formal nas escolas públicas
Abstract: There is, nowadays, a very significant amount of students in elementary and secondary public schools of São Paulo, attitudes that demonstrate a real lack of interest in formal education. This disinterest is observable when objectified in the classroom behaviors such as refusal to undertake activities related to reading and writing, violence against teachers, school buildings and their own colleagues, indiscipline and lack of concern with grades. For me, these attitudes are the outward and visible from a sociocultural process coming from a specific economic setting which totaled and thereby surreptitiously robbed the social power of men. Thus, the internal reason of the current socio-economic formation is directed not to men but to itself. This, not requiring individuals educated, but to consumers, only encourages the production of the latter. We believe that analyzing the attitudes and negative outcomes of students in public schools of São Paulo without taking into account the social background, economic and cultural in which they are immersed when out of public school institution is a huge mistake. Our research problem is to understand how the formation economic, social, cultural and contemporary was erected and organized itself to reach the point of influencing the students and cause them to lack of interest in formal education. Studying the causes of a lack of formal education for individuals and demonstrate that they are from their own economic and social scenario - which often calls itself this form of education as a remedy for all ills - it is at least indicative of the snare of the social contradiction . Furthermore, it is evidence of social reification which covered any theory that insists on the possibility of emancipation through education generating inclusion - that in itself is a contradiction in terms. To reach this level of understanding of the current scenario of lack of interest among students for formal education, we have the ideas and concepts of theorists such as Marx, Adorno, Marcuse, Benjamin and Horkheimer. These thinkers were critical to the elevation of a human and social phenomenon (the lack of students) the object of study verifiable and, especially, to understand their origins. We base ourselves in oral accounts of experiences in the classroom, by the author and fellow teachers in our region to work because they are experiencing verbal reports (ie, empirically) the situation of lack of interest among students for formal education in public schools state of São Paulo. However, the main source for our investigation was the very voice of the students, presented in interviews at the school where the author of this study teaches. Therefore, our hypothesis in this study is that the content and form of the culture engendered by industrial capitalism producer of goods, and imposed on each second to individuals, is diametrically opposed to the culture necessary and inherent to formal education in public schools
Palavras-chave: Educação formal
Capitalismo
Mercadoria
Fetiche
Razão instrumental
Currículo
Formal education
Cultural industry
Capitalism
Commodity
Fetish
Instrumental reason
Curriculum
Industria cultural
Educacao extra-escolar
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::CURRICULO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Educação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Currículo
Citação: Silva, César Augusto Alves da. Indústria cultural, educação escolar e currículo: a contradição ocultada e o desinteresse dos alunos pela educação formal. 2010. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/10203
Data de defesa: 9-Mar-2010
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Currículo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Cesar Augusto Alves da Silva.pdf1,04 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.