???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12403
Tipo do documento: Dissertação
Título: O fazer institucionalizado: O cotidiano do asilamento
Título(s) alternativo(s): Activities at a residencial home. It´s quotidian
Autor: Lima, Maria Amélia Ximenes Correia
Primeiro orientador: Côrte, Beltrina
Resumo: Esta pesquisa buscou compreensões acerca da problemática do fazer na cotidianidade asilar em um asilo localizado em uma cidade de São Paulo. Teve como objetivo verificar qual é a realidade da vida cotidiana asilar e de que maneira esta pode interferir no fazer dos residentes. O estudo de caso mostrou-se pertinente enquanto proposta metodológica. Utilizou como instrumentos de coleta de dados uma entrevista estruturada aplicada a 5 sujeitos (direção e funcionários), observações em campo e relatórios de alunos. Outros materiais como documentos institucionais e jornais antigos serviram para dar suporte referencial. Os dados foram categorizados e analisados simultaneamente e comparados com a literatura existente. Observou-se que a instituição guarda algumas características de sua fundação, mantendo como elemento essencial do seu fazer o arrecadar fundos apelando para a prática da caridade. Portanto os fazeres dos residentes só são valorizados quando transformados em renda. O assistencialismo, também sustentado pela sociedade, visualiza o residente como coitado , incapaz e improdutivo, rotulando-o de ocioso . O ambiente institucional traz aos sentidos a sensação de abandono e tristeza e, junto ao rótulo, a impressão de marasmo. O trabalho voluntário dentro da instituição é feito de modo individualizado e, embora haja uma equipe de profissionais de diversas áreas, não há orientação, nem trabalhos integrados. Os residentes nunca são consultados sobre seus interesses nas atividades propostas, nem existe um calendário que informe a programação do mês, levando-os ao estado de alienação total e à desorientação temporal. Essas questões levaram a descobertas sobre os fatores que interferem no fazer dos residentes: a espera da morte, não há investimento em vida, ausência de projetos que a ressignifique; falta de formação dos funcionários e dirigentes sobre o processo de envelhecimento e velhice; regulamentos que impedem a flexibilidade e liberdade, temperos saudáveis à vida do residente; rotatividade profissional e suas conseqüências - a inexperiência profissional, rupturas constantes nos trabalhos e desorganização dos fazeres institucionais -; a falta de autonomia, por levar ao isolamento, à desvalorização do residente e à improdutividade; ambientes e materiais, por relacionarem-se aos quesitos independência, segurança, risco, limite de desempenho e conforto; rotina de horários dos fazeres diários os arrastam paulatinamente à despersonalização, à perda da dignidade e do respeito; e sentimento de não pertencimento, uma vez que pertencer dá a segurança de conhecer com minúcia o espaço, favorecendo a vontade de conservá-lo e de melhorá-lo, propiciando o fazer. Conhecer esses fatores é ter à mão conceitos para desenvolver um fazer ressignificado cotidianamente em instituições que abrigam velhos.
Abstract: ABSTRACT This paper sought to comprehend the matter of the activities in the quotidian of a residential home for elderly in a city of São Paulo State. Its objective was to examine the reality of the residents daily life and how it can interfere in their activities. The case study showed pertinence as methodological proposal. A structured interview applied to 5 subjects (managers and staff) was utilized as a tool for collecting data, as well as field observation and students reports. Other material such as documents of the institution and old newspapers gave referential support. The data were categorized and analyzed simultaneously and compared to the existing literature. It was observed that the institution still keeps some characteristics of its foundation, such as its main activity of raising funds through charity. Therefore, the residents activities are only valued when they are made into income. The relief practices, also supported by the society, causes the residents to be seen as underdog , incapable and unproductive, designating them idle . The residential environment brings along the sensation of abandon, sadness and apathy. Voluntary work is done in an individualized way and although there is a team of professionals from different areas, there is neither coordination nor integrated work. The residents are not questioned about their interests in the proposed activities and there is not a schedule to inform them of the programming of the month, leading them to a state of total alienation and temporal disorientation. These issues led to discoveries about the factors which interfere in the residents doing activities: waiting for the death, no investment in life, absence of projects to make life meaningful; staff and managers lacking knowledge about elderly and the process of becoming elder; rules that hinder flexibility and freedom, items necessary to the resident s healthy life; job rotation and its consequences professional inexperience, constant interruptions in the tasks and disorganization in the activities of the institution -; lack of autonomy, leading to the resident s isolation, moral depreciation and no production; environments and materials, for being linked to issues like independency, safety, risk, comfort and performance limit; scheduled routine for daily activities drag them into depersonalization, loss of dignity and respect; and feeling of not belonging, since belonging brings the assurance of knowing the space accurately, encouraging the will of preserving and improving it, providing activity. Knowing these factors means having concepts to develop meaningful quotidian activities at residential homes for elderly.
Palavras-chave: Instituição asilar
Fazer
Cotidiano
Residentes
Velhice
Residential home
Activity
Quotidian
Residents
Elderly
Asilo para idosos
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Gerontologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia
Citação: Lima, Maria Amélia Ximenes Correia. O fazer institucionalizado: O cotidiano do asilamento. 2005. 135 f. Dissertação (Mestrado em Gerontologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12403
Data de defesa: 10-Oct-2005
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao Maria Amelia Ximenes Correia Lima.pdf460,65 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.