???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13548
Tipo do documento: Dissertação
Título: O conceito de língua/linguagem em 1984 de Orwell
Autor: Santos, Rodrigo Fernando Assis dos 
Primeiro orientador: Brait, Elisabeth
Resumo: Este trabalho discute o conceito de língua/linguagem em 1984 de George Orwell e relaciona esse conceito com o da linguística oficial russa das décadas de 1920/1930. Para tanto, selecionamos, especificamente, a novilíngua como corpus de pesquisa. A novilíngua consiste em um sistema linguístico elaborado pelos detentores do poder da ficção orwelliana que, quando finalizado e colocado em uso, impediria a expressão de opiniões contrárias ao regime e a existência de outras línguas. A característica central para a existência da novilíngua é a destruição da língua vigente. Ao pesquisarmos a política linguística oficial russa das décadas de 1920 e 1930, descobrimos um projeto similar de destruição das línguas existentes e de criação de uma língua única. Nosso objetivo de pesquisa, portanto, é descrever, analisar e interpretar, por meio da materialidade linguístico-discursiva da novilíngua, os discursos históricos que atravessam a obra e, a partir daí, estabelecer relações dialógicas entre o conceito de língua/linguagem de 1984 e esse mesmo conceito na linguística oficial russa das décadas de 1920/1930. Questionamos em nosso trabalho qual é o conceito de língua/linguagem da novilíngua e da linguística oficial russa das décadas de 1920/1930, quais relações dialógicas podem ser estabelecidas entre o conceito da novilíngua e esse mesmo conceito da linguística oficial russa dos anos 1930, quais relações dialógicas podem serestabelecidas entre o léxico da novilíngua, que trata o pensamento discordante ao sistema totalitário como crime, e a sociedade stalinista no que diz respeito à restrição da liberdade de expressão e quais conhecimentos sobre a linguagem humana nossa análise dialógica vai de encontro. Este estudo recupera alguns discursos que circulam sobre a história da Rússia desde o final do período czarista até o auge do expurgo stalinista, identifica a teoria linguística oficial da Rússia das décadas de 1920/1930 e mostra como a obra 1984, de Orwell, materializa os discursos advindos desse período histórico. Nossa metodologia para composição do corpus e descrição da novilíngua obedeceu à seguinte dinâmica: a) descrever o processo de destruição da língua vigente para a construção da novilíngua; b) levantamento do termo novilíngua e dos termos em novilíngua, em toda a narrativa; c) construção de um glossário que contém a definição das palavras em novilíngua. Por meio da descrição da novilíngua e da nossa respectiva análise, foi possível constatar que a linguagem humana, tanto na vida como na arte, é capaz de criar mecanismos compensatórios que atenuam e anulam as forças que querem acabar com o plurilinguísmo e assim manter a linguagem humana, mesmo sob forte coerção de sistemas políticos totalitários, pluriacentuada e ideologicamente saturada. Identificamos também a diferença entre a linguagem científica e a ficcional: na linguagem científica não há divergência entre o enunciado e a enunciação; na linguagem ficcional essa divergência é constituinte. Este trabalho está embasado pela teoria Bakhtiniana, que discute a linguagem pelo seu viés sócio-histórico ideológico. Utilizamos os conceitos de axiologia, signo ideológico, infraestrutura e superestrutura, dialogismo, forças centrípetas e centrífugas.
Abstract: This research discusses the concept of language present in George Orwell´s book 1984 and relates it with the official concept of language of Russia during the 1920´s and 1930´s . For doing this, we chose as study object the book 1984 from which we selected newspeak as the corpus of analyses. Newspeak consists of a language system that´s is being created by the government of the plot and once it is finished and put into practice, would impeach people to have different opinions from the government and the existence of the other languages would also be impossible. The main feature of newspeak is that it is being constructed through the destruction of the current language. On the other side, we have the official Russian linguistics of the 30´s that has a similar project of destruction of the linguistic material and creation of a single universal language. Our objective in this research is to describe, analyze and interpretate through the linguistic-discursive newspeak material, the discourses that constitutes the book and establish dialogic relations between newspeak and the official russian linguistics of the 30´s, period which the book makes analogies. We inquire in this research what is the concept of language of Newspeak and the official russian linguistics of the 1920´s and 1930´s, which dialogic relations can be established between both concepts, which dialogic relations can be stablished between the newspeak lexical group that relates crime with the idea of disagreement of the government policies and the stanist society concerning the same matter and which language knowledge our dialogic relation meets. This research reconstruct some discourses about the Russian revolutionary period since the czarism regime until the great purge, it also identifies the official Russian linguistics theory of the 20´s and 30´s, and shows how 1984 materialize the discourses concerning the speech restriction policies that come from this historical period. Our methodology for the corpus´ construction was done based on the following steps; a) Describe the process of destruction of the current language; b) Identification of the term Newspeak and the terms in Newspeak through all narrative; (c) Construction of a glossary that has the definition of the words in Newspeak. Through the description of newspeak and the analyses of two linguistics marks, it was possible to realize that the human language either in life or in art, is able to create compensatory mechanisms that weakens and cancel the forces that struggles to finish with the heteroglossia that keeps the human language ideologically saturated. We also indentify the diference between the fictional language and the scientific one: the former there is not any diference between the act of uttering and the utterance, whereas the latter this difference is part of the discourse genre. This research is based on Bakhtinian´s circle theory, that discusses language through its social historical point of view. We used the concept of axiology, ideological sign, infrastructure and superstructure, monologism, dialogism, centripetal forces and centrifugal forces
Palavras-chave: 1984 - George Orwell
Marrismo
Novilíngua
Monologismo
Dialogismo
Forças centrípetas
Centrífugas
Marrism
Newspeak
Monologism
Dialogism
Centripetal
Centrifugal forces
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA::LINGUISTICA APLICADA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Lingüística
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem
Citação: Santos, Rodrigo Fernando Assis dos. O conceito de língua/linguagem em 1984 de Orwell. 2011. 193 f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13548
Data de defesa: 29-Nov-2011
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rodrigo Fernando Assis dos Santos.pdf1,5 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.