???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13577
Tipo do documento: Tese
Título: Implicações socioeducacionais do ensino de inglês em escolas públicas: linguística sistêmico-funcional e representação da prática pedagógica
Título(s) alternativo(s): Socio-educational implications of english teaching in state schools: systemic functional linguistics and pedagogic practice representation
Autor: Batista, Maria Eugenia 
Primeiro orientador: Barbara, Leila
Resumo: Esta pesquisa, que integra o Projeto DIRECT e está inserida na linha de pesquisa Linguagem e Trabalho, teve como objetivo central analisar os processos materiais na representação da prática pedagógica, que permeia a experiência de ensinar-aprender inglês na escola pública, presente no discurso de professores de inglês e alunos das redes municipal e estadual de ensino de um dos municípios da Região Metropolitana de São Paulo. Fundamenta a análise linguística deste estudo a perspectiva teórico-metodológica da Linguística Sistêmico-Funcional (HALLIDAY, 2004 e HALLIDAY & MATHIESSEN, 2004), a partir da metafunção ideacional, e a Análise Crítica do Discurso (VAN LEEUWEN, 2008). Os tópicos identificados nas orações onde os processos materiais ocorreram e que compõem a representação da prática pedagógica no discurso dos professores e alunos são discutidos com base na teoria de Bernstein (1971, 1990, 2000), a respeito das práticas pedagógicas, na perspectiva do sociointeracionismo vigotskiano (VYGOTSKY, 1978; NEWMAN & HOLZMAN, 2002; HASAN, 2005; HOLZMAN, 2009) e na Pedagogia Pós-Metodo (KUMARAVADIVELU, 2008). Foram realizadas 25 entrevistas (10 com professores e 15 com alunos) que foram gravadas em áudio e transcritas para análise. Os textos transcritos foram analisados a partir da lista de palavras por ordem de frequência e listas de concordância obtidas por meio do WordSmith Tools (SCOTT, 2010). A análise centrou-se nos processos materiais por serem eles os mais representativos das ações, isto é, do fazer, dos professores e alunos. Os resultados revelam que o uso de processos como fazer, trabalhar, dar, passar, entre outros, na representação no discurso dos professores e dos alunos, indicam uma prática pedagógica contendo procedimentos, conteúdos e avaliações, que se aproxima de uma pedagogia de transmissão (BERNSTEIN, 1990). Os professores apontam para as lacunas de sua formação inicial, de ausência de recursos no EF1, de um novo material didático no EF2 e EM e a dificuldade da nova realidade de ensinar crianças com deficiência e necessidades educacionais especiais. Os alunos apontam para as regras de conduta e indisciplina na aula e queixam-se de diferentes aspectos da prática pedagógica. Nota-se nos resultados das análises das representações a carência de espaços para as crianças do EF1 brincarem e ao brincar poderem desenvolver suas funções mentais superiores (VYGOTSKY, 1978) e construir o conhecimento de uma língua estrangeira. Em todas as fases escolares (EF1, EF2 e EM) parece não haver a oportunidade para que, de fato, os aprendizes possam construir produtos criativos como resultado do processo de ensino-aprendizagem. Os resultados, portanto, apontam para implicações de ordem socioeducacionais, que, no que diz respeito a aspectos educacionais, indicam a urgente necessidade de os formadores ouvirem professores e alunos e, junto com eles, buscarem promover as mudanças necessárias para que o ensino-aprendizagem de inglês nas escolas públicas e a escola pública como um todo sejam de fato um espaço para desenvolvimento e construção de conhecimento
Abstract: This dissertation, part of the DIRECT Project, is aimed to investigate the use of material processes, i.e., the processes of doing, in the pedagogic practice representation underlying the discourse of teachers of English and students, from state schools located in the Metropolitan Region of São Paulo, regarding their English teaching and learning. This study has its linguistic analysis grounded on the principles of the Systemic-Functional Linguistics (HALLIDAY, 2004 e HALLIDAY & MATHIESSEN, 2004), more specifically the focus on the ideational metafunction, and Critical Discourse Analysis (VAN LEEUWEN, 2008). The topics which comprise the representation of such pedagogic practice are discussed based on Bernstein‟s theory (1971, 1990, 2000), the socio-interacionist perspective (VYGOTSKY, 1978; NEWMAN & HOLZMAN, 2002; HASAN, 2005; HOLZMAN, 2009) and the Post-Method Pedagogy (KUMARAVADIVELU, 2008). Twenty five interviews were carried out (ten with teachers and fifteen with students), recorded and transcribed for analysis. The texts were, then, first analysed taking into account the Wordlists and Concordance Lists provided by the software WordSmith Tools (SCOTT, 2010). The material processes guided the analysis and results have shown that the use of material processes, such as do, work, give, pass, present in the representation underlying teachers‟ and students‟ discourse seem to suggest a pedagogic practice made of procedures, contents and means of assessment towards a pedagogy of transmission (BERNSTEIN, 1990). Teachers signal gaps in their initial education, the absence of resources in EF1, the use of a new material in EF2 and EM, and their difficulty in dealing with inclusive education, which has placed students with disabilities and special educational needs in regular classes. Students, on the other hand, flag how rules and indiscipline take place in class as well as complain about copying and translating, procedures of the pedagogic practice. Based on this representation, one can therefore infer that there is lack of opportunities for the students in their early years at school to play and by playing being able to develop their higher mental functions (VYGOTSKY, 1978), to learn the rules which underlie social interactions and to build knowledge by learning a foreign language. Observing the representation in the students‟ discourse, one can also observe that, throughout the school years, there seems to be lack of opportunities for students‟ to interact and come up with creative products in their learning processes in an effective way. Results, therefore, point out that there are socio-educational implications of such representations. Teacher educators urgently need to listen to teachers and students and, together, put forward actions to promote the necessary changes to make English teaching in state schools, as well as the whole school, an effect space for development ,and, as a result, deal with this educational implication
Palavras-chave: Ensino de inglês
Prática pedagógica
Linguística sistêmico-funcional
Representação
English teaching
Pedagogic practice
Systemic functional linguistics
Representation
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA::LINGUISTICA APLICADA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Lingüística
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem
Citação: Batista, Maria Eugenia. Socio-educational implications of english teaching in state schools: systemic functional linguistics and pedagogic practice representation. 2012. 286 f. Tese (Doutorado em Lingüística) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13577
Data de defesa: 6-Jun-2012
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maria Eugenia Batista.pdf3,31 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.