???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13620
Tipo do documento: Dissertação
Título:  Por que escolho agir assim? : afeto e colaboração em sala de aula
Autor: Magalhães, Simone Alves 
Primeiro orientador: Magalhães, Maria Cecilia Camargo
Resumo: Esta pesquisa tem como objetivo geral compreender criticamente as relações entre professora e alunos de oitavo e nono anos em aula de língua inglesa em uma escola da rede privada da cidade de São Paulo e o processo de produção de novos modos de pensar e agir desses participantes a partir da criação de contextos colaborativos organizados para reflexão crítica sobre si mesmos nas relações com colegas e professora. Especificamente, busca investigar como as relações são organizadas e quais os diferentes papeis de aluno e professora nesta turma, além de verificar quais modos de agir são construídos coletivamente em sala de aula e qual a relação com a intencionalidade em agir. A fundamentação teórica está embasada no monismo spinozano (1677/2011) e sua discussão sobre afeto, além da Teoria da Atividade Sócio- Histórico-Cultural (TASCH) como discutida nos trabalhos de Vygotsky (1930/2008; 1934/2008; 1987), Leontiev(1977) e Engeström (1987; 1999; 2001); nos conceitos de dialogia e alteridade segundo Bakthin (1929/2002; 1979/2003) e Magalhães e Oliveira (2011) e nos conceitos de colaboração e reflexão crítica discutidos por Magalhães (2010; 2009; 2007). Neste contexto, a aula de inglês é compreendida como uma atividade sóciohistórico- cultural, em que alunos e professora são participantes ativos e efetivos na construção do objeto coletivo. Em termos metodológicos, está apoiada nos pressupostos da Pesquisa Crítica de Colaboração - PCCol, segundo Magalhães (2009). As relações entre os participantes caracterizam-se como colaborativas, uma vez que a colaboração é central para o compartilhamento de novos significados e produção de novos modos de ser e agir no mundo. Os dados foram analisados a partir das categorias desenvolvidas por Bronckart (1997), Smyth (1992), Liberali (2004), Magalhães (2004), Orsolini (2005), Pontecorvo (2005), Brookfield&Preskill (2005); Magalhães e Fidalgo (2007). A discussão dos dados aponta para a criação de novos contextos colaborativos em sala de aula que promoveram transformações nos modos de agir dos sujeitos da atividade, possibilitando o desenvolvimentos de novos papeis de aluno e professor e ampliando as possibilidades de desenvolvimento e atuação no próprio contexto
Abstract: The main objective of this work is to understand critically the relations established between a teacher and 13 elementary students in the English Class at a private school in São Paulo city and the process of production of new ways of thinking and acting of these participants when collaborative contexts organized for critical reflection take place in the classroom. More specifically, it aims at investigating how these relations are organized and which roles teacher and students play in the group, as well as verifying which ways of acting are built collectively in the classroom and their relation with intentionality. The theoretical framework is based on Spinoza (1677/2011) and the concept of affect, the Social Cultural Historical Activity Theory (TASHC) as discussed in Vygotsky (1930/2008; 1934/2008; 1987), Leontiev(1977) e Engeström (1987; 1999; 2001); the concepts of dialogism and otherness according to Bakthin (1929/2002; 1979/2003) and Magalhães e Oliveira (2011); and the concepts of collaboration and critical reflection as proposed by Magalhães (2010;2009;2007).In thiscontext, theEnglishclassisunderstood as a social cultural historical activity, in which students and teacher are active and effective participants in the construction of a collective object. It is organized according to the methodological principles of the Critical Collaborative Research (PCCOL) as proposed by Magalhães (2009). The relations among participants can be characterized as collaborative once moments are created in which collaboration is essential for the sharing of new meanings and the production of new ways of being and acting in the world. Data was analyzed following categories developed by Bronckart (1997), Smyth (1992), Liberali (2004), Magalhães (2004), Orsolini (2005), Pontecorvo (2005), Brookfield&Preskill (2005);Magalhães and Fidalgo (2007). The data analysis points at the creation of the collaborative contexts in the classroom which promoted transformation in the ways of acting of the subjects of the Activity, making way for the development of new roles of student and teacher, thus broadening the possibilities of development and performance in the context given
Palavras-chave: Teoria da atividade sócio-histórico-cultural
Afeto
Colaboração
Cultural historical activity theory
Affect
Collaboration
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA::LINGUISTICA APLICADA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Lingüística
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem
Citação: Magalhães, Simone Alves. Por que escolho agir assim? : afeto e colaboração em sala de aula. 2013. 153 f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13620
Data de defesa: 10-May-2013
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Simone Alves Magalhaes.pdf1,39 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.