???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13697
Tipo do documento: Tese
Título: Conscientização e autonomia em formação on-line de professores
Autor: Sprenger, Terezinha Maria
Primeiro orientador: Collins, Heloisa
Resumo: As profundas transformações ocorridas na sociedade requerem uma nova forma de se tratar a educação. Para exercer sua função primordial de formar cidadãos auto-realizados, conscientes e íntegros, a escola precisa se renovar. Tal renovação pressupõe aproximar-se dos alunos, promover a criatividade, o desenvolvimento de habilidades como a busca, avaliação e aplicação adequada das informações e da capacidade para identificar e resolver problemas. Essa necessidade de transformação é percebida por todos: alunos, professores, diretores, pais e a sociedade em geral. O discurso educacional atual atribui um novo papel aos professores, pressupõe a integração das novas tecnologias ao ensino e aprendizagem e é de consenso que a promoção da autonomia, tanto do aluno quanto do professor, se faz necessária. Em tal contexto, a prática aliada à pesquisa, no âmbito da formação continuada de professores, constitui-se em prioridade. Considerando esse cenário, este trabalho tem dois objetivos principais. O primeiro deles constitui-se em analisar o processo de desenvolvimento da autonomia de quatro professoras-alunas em um curso on-line de formação continuada de professores. Interpretando a autonomia não como um ponto a ser atingido mas como um caminho, visa a identificar evidências de que as professoras-alunas o estão percorrendo. O segundo objetivo consiste em verificar de que forma o diálogo crítico e reflexivo, essencial no desenvolvimento da autonomia, foi viabilizado no ambiente digital. A definição de autonomia do professor adotada para o contexto aqui analisado fundamenta-se na literatura nas áreas de autonomia do aprendiz e do professor de línguas (Little, 2000; Lamb, 2000; Benson, 1997a, 1997b, 2001; Dam, 1995; Vieira, 1998; McGrath, 2000; Kumaravadivelu, 2001) e da pedagogia crítica (Freire, 1970, 1973, 1977, 1980, 1982, 1996). Refere-se à capacidade, disposição e direito do professor para tomar decisões conscientes a respeito de tarefas didáticas. Estar consciente requer situar a tarefa num contexto maior, percebendo, de forma crítica, os diferentes aspectos que estão envolvidos no planejamento, elaboração e implementação da mesma. Estar consciente significa também o professor perceber sua possibilidade de intervenção no contexto cultural, social e político bem como a possibilidade de intervenção de seus alunos. Levando em conta tal definição, a pesquisa considera que o desenvolvimento da autonomia pressupõe um processo de conscientização (Freire, 1970, 1973, 1977, 1980, 1982, 1996) e o enfoca. Compreende que o envolvimento em ações de aprendizagem, conforme descritas por Engeström no modelo de aprendizagem por expansão (1987, 1999b), leva a níveis mais avançados da consciência e, dessa forma, equivale à mencionada conscientização. Assim, para a análise dos dados, lança mão do modelo de aprendizagem por expansão (Engeström, 1999b) e do instrumental teórico que o fundamenta, a teoria da atividade. De acordo com essa perspectiva, identifica as contradições referentes aos tópicos de conversação mais freqüentes no curso. Em seguida, analisa os processos de explicitação e transformação de tais contradições. Nesses processos, são reveladas algumas evidências de autonomia nas ações das professoras-alunas bem como as possibilidades do meio digital na construção do diálogo crítico e reflexivo
Abstract: The sweeping changes taking place in society require a new way of dealing with education. In order to play its vital role in developing fulfilled, honest, politically and socially conscious citizens, schools need to be renewed. Such a renewal requires coming closer to students realities, encouraging creativity and the development of skills such as searching for, evaluating and applying information, fostering the capacity to identify and solve problems. This need is perceived by everyone: students, educators, parents and the society as a whole. The current education discourse assigns a new role to teachers, assumes that the new information and communication technology must be integrated in the process of teaching and learning and it is agreed that teacher and learner autonomy should be promoted. In such circumstances, practice allied to research in the field of teacher development becomes a priority. Taking this need into account, this study has two objectives. First, it aims to analyze four teacher-students process of autonomy development in an on-line course. Seeing autonomy not as a target to be reached but as a path it seeks to find evidences that it is being followed by the teacher-students. The second objective is to analyze how the critical and reflective dialog, essential in the development of autonomy, takes shape in the on-line environment. The definition of teacher autonomy adopted for this study draws on literature in the areas of language learner and teacher autonomy (Little, 2000; Lamb, 2000; Benson, 1997a, 1997b, 2001; Dam, 1995; Vieira, 1998; McGrath, 2000; Kumaravadivelu, 2001) and critical pedagogy (Freire, 1970, 1973, 1977, 1980, 1982, 1996). It refers to teachers capacity, willingness and right to make informed decisions about classroom tasks. Being informed, in this definition, means situating the task in its wider context, taking the different aspects involved in its design and implementation into account. It also means that the teacher perceives his or her and his or her students possibility of changing the cultural, social and political situation. Considering this definition, the study assumes that the development of autonomy presupposes a process that Paulo Freire calls conscientização and focuses on it. It argues that the involvement in the learning actions, as described in the learning by expansion model described by Engeström (1987, 1999b), leads to more advanced levels of awareness and therefore it may be considered as conscientização. Thus, this model and the theory that supports it, activity theory, are drawn upon for data analysis. According to this perspective, the contradictions concerning the main conversation topics are identified. The processes of identification and transformation of these contradictions are analyzed. In these processes, some evidences of autonomy in the teacher-students actions are revealed as well as the possibilities of the digital environment in the construction of critical and reflective dialog
Palavras-chave: formação continuada
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA::LINGUISTICA APLICADA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Lingüística
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem
Citação: Sprenger, Terezinha Maria. Conscientização e autonomia em formação on-line de professores. 2004. 315 f. Tese (Doutorado em Lingüística) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13697
Data de defesa: 30-Mar-2004
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Terezinha Maria Sprenger.pdf1,65 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.