REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/15238
Tipo: Tese
Título: Zonas de promiscuidade: trottoir do desejo sexual
Autor(es): Bortolanza, Elaine
Primeiro Orientador: Rolnik, Suely Belinha
Resumo: A questão que se coloca na tese está entremeada na trama moral, em que o desejo pulsa por novos arranjos, combinações; trama feita de elementos diferentes, misturados sem ordem ou critério, ou seja, fabricados e constituídos de maneira promíscua. Para desemaranhar os nós do dispositivo da sexualidade, começo por mostrar que o desejo sexual é uma dimensão irredutível à lógica da representação, ao contrário, para além das políticas identitárias do jogo macropolítico do direito e da norma, o desejo batalha insistentemente neste entre: o individual e o coletivo, o sexo e a norma, o êxtase e o amor, o eu e o outro, constituindo o que chamarei de zona de promiscuidade para isso, trago duas figuras: as putas/prostitutas e os amantes. Experimenta-se uma sensação de desconforto e vazio por estarmos numa zona de não-conhecimento e não-reconhecimento, zona esta que permite a expressão de uma potência de criação, mobilizada exatamente por este vazio no regime do capitalismo cultural. Os conceitos operam na dinâmica dos afectos, nos encontros, na experiência concreta, nesta zona limite do jogo desejo-sexo-prazer um jogo de sensações cujo desejo é tornar sensíveis as tensões e os paradoxos, para que possamos reinventar outros modos de vibrar as sexualidades. Uma fabulação dos devires minoritários da sexualidade
Abstract: The subject of this study is a moral web (where desire pulses for new arrangements and combinations) that consists of different elements mixed without order or criterion in a promiscuous way. In order to undo the sexuality device s knots, this study demonstrates that sexual desire is a dimension that cannot be reduced to the logic of representation. Rather it is beyond the identity politics and normative macropolitical games of the right. Desire battles insistently between: the individual and the collective; sex and the norm; bliss and love; and also I and the other . These battles form promiscuous zones. Therefore this study demonstrates two characters: the whores/prostitutes and the lovers. An empty and inconvenient sensation is experienced as we are in a zone of non-knowledge and non-recognition. This zone allows the expression of creative potential, mobilized exactly by the emptiness that occurs in the capitalist cultural regime. In the limits of the desire-sex-pleasure game zone, the concepts operate on the dynamics of affections, encounters and concrete experience. It is a game of sensations that desires sensitivity to tensions and paradoxes so that alternative ways for sexualities to vibrate can be reinvented. A fabulation concerning the metamorphosis of sexuality s minorities
Palavras-chave: Desejo
Sexualidade
Sexo
Promiscuidade
Prostitutas amantes
Prazer
Desire
Sexuality
Sex
Promiscuity
Prostitutes
Lovers
Pleasure
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Psicologia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Bortolanza, Elaine. Zonas de promiscuidade: trottoir do desejo sexual. 2012. 142 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15238
Data do documento: 23-Nov-2012
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Elaine Bortolanza.pdf28,41 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.