???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/1526
Tipo do documento: Dissertação
Título: O fim do Império e o nascimento da República: o desenvolvimento da contabilidade brasileira durante a Primeira República
Título(s) alternativo(s): The end of the Brazilian Empire and the Birth of the Republic: development of the Brazilian accounting during the First Republic
Autor: Adde, Tiago Villac
Primeiro orientador: Iudícibus, Sérgio de
Resumo: A história da contabilidade brasileira ainda é relativamente muito pouco explorada, apesar da crescente publicação de artigos, dissertações e livros ocorrida nos últimos anos. Através de uma pesquisa histórica, o presente trabalho buscou examinar as principais mudanças ocorridas na contabilidade brasileira no período da Primeira República (1889-1930). A necessidade de uma maior introdução da contabilidade na gestão pública e empresarial associou-se ao forte desenvolvimento econômico que teve o Brasil e particularmente o Estado de São Paulo, com a expansão da economia cafeeira e seu efeito multiplicador sobre as atividades urbanas. Em 1890, o Decreto nº 164 trouxe modificações à legislação das sociedades anônimas. Em 1892, a organização da contabilidade da prefeitura municipal de São Carlos foi delineada por Estanislau Kruszynski e executada por Carlos de Carvalho, seguindo o método das partidas dobradas e da personalização das contas denominada Logismografia . Em 1905, foi organizada a escrituração contábil do Tesouro do Estado de São Paulo, através do estabelecimento da escrituração por partidas dobradas e pela introdução da contabilidade patrimonial e financeira. Nos anos seguintes esse modelo foi levado a outros Estados e em 1914 para a contabilidade do governo federal. O Decreto Legislativo nº 1.339 de 1905 declarou a Academia de Comércio do Rio de Janeiro e a Escola Prática de Comércio de São Paulo como instituições de utilidade pública. Posteriormente as disposições deste decreto foram estendidas a diversas outras escolas de comércio. A partir de 1915 foram fundadas novas associações de classe de contadores que deram impulso ao movimento pela busca da regulamentação do ensino comercial e pelo reconhecimento oficial do profissional contabilista. Em 1922 foi organizado o Código de Contabilidade da União e em 1924 foi aprovado o regulamento da Contadoria Central da República. Também em 1924 foi realizado o Primeiro Congresso Brasileiro de Contabilidade, no Rio de Janeiro. Em 1925, por iniciativa de Francisco D Auria, foi criado o Registro Geral dos Contabilistas do Brasil. Em 1926, foi aprovado o regulamento dos estabelecimentos de ensino comercial e organizado definitivamente o Imposto sobre a Renda. No período da Primeira República a contabilidade brasileira apresentou importante desenvolvimento nas esferas da contabilidade pública, do ensino contábil e das organizações de classe. Não se verifica relevante evolução nas práticas contábeis das empresas privadas e das sociedades anônimas
Abstract: A história da contabilidade brasileira ainda é relativamente muito pouco explorada, apesar da crescente publicação de artigos, dissertações e livros ocorrida nos últimos anos. Através de uma pesquisa histórica, o presente trabalho buscou examinar as principais mudanças ocorridas na contabilidade brasileira no período da Primeira República (1889-1930). A necessidade de uma maior introdução da contabilidade na gestão pública e empresarial associou-se ao forte desenvolvimento econômico que teve o Brasil e particularmente o Estado de São Paulo, com a expansão da economia cafeeira e seu efeito multiplicador sobre as atividades urbanas. Em 1890, o Decreto nº 164 trouxe modificações à legislação das sociedades anônimas. Em 1892, a organização da contabilidade da prefeitura municipal de São Carlos foi delineada por Estanislau Kruszynski e executada por Carlos de Carvalho, seguindo o método das partidas dobradas e da personalização das contas denominada Logismografia . Em 1905, foi organizada a escrituração contábil do Tesouro do Estado de São Paulo, através do estabelecimento da escrituração por partidas dobradas e pela introdução da contabilidade patrimonial e financeira. Nos anos seguintes esse modelo foi levado a outros Estados e em 1914 para a contabilidade do governo federal. O Decreto Legislativo nº 1.339 de 1905 declarou a Academia de Comércio do Rio de Janeiro e a Escola Prática de Comércio de São Paulo como instituições de utilidade pública. Posteriormente as disposições deste decreto foram estendidas a diversas outras escolas de comércio. A partir de 1915 foram fundadas novas associações de classe de contadores que deram impulso ao movimento pela busca da regulamentação do ensino comercial e pelo reconhecimento oficial do profissional contabilista. Em 1922 foi organizado o Código de Contabilidade da União e em 1924 foi aprovado o regulamento da Contadoria Central da República. Também em 1924 foi realizado o Primeiro Congresso Brasileiro de Contabilidade, no Rio de Janeiro. Em 1925, por iniciativa de Francisco D Auria, foi criado o Registro Geral dos Contabilistas do Brasil. Em 1926, foi aprovado o regulamento dos estabelecimentos de ensino comercial e organizado definitivamente o Imposto sobre a Renda. No período da Primeira República a contabilidade brasileira apresentou importante desenvolvimento nas esferas da contabilidade pública, do ensino contábil e das organizações de classe. Não se verifica relevante evolução nas práticas contábeis das empresas privadas e das sociedades anônimas
Palavras-chave: Contabilidade
Primeira República
Escrituração contábil
Accounting
First Republic
Bookkeeping
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::CIENCIAS CONTABEIS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Ciências Cont. Atuariais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais
Citação: Adde, Tiago Villac. The end of the Brazilian Empire and the Birth of the Republic: development of the Brazilian accounting during the First Republic. 2012. 157 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Cont. Atuariais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/1526
Data de defesa: 30-Nov-2012
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tiago Villac Adde.pdf2,66 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.