???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15367
Tipo do documento: Dissertação
Título: A concepção de religiosidade no pensamento junguiano: questões e perspectivas
Autor: Martins, Caio Vinicius 
Primeiro orientador: Faria, Durval Luiz de
Resumo: Já em seu tempo Jung apontava para a falta de abertura por parte da ciência e do pensamento da época para contemplar a religiosidade em suas reflexões e, consequentemente, considerá-la em suas práticas. Assim, o psiquiatra suíço indicava uma dicotomia na psique do homem moderno que se desenvolvia dentro de uma dinâmica conflituosa, onde o pensamento científico, materialista e crítico se sobrepunha à religião e, consequentemente, à natural função religiosa da psique. Evidenciava-se, desse modo, um embate entre ciência e religião, tendo a primeira sido dominada e submetida à segunda nos séculos precedentes, mas que agora impunha o seu domínio e rejeitava prestar reconhecimento à segunda com o mesmo afinco. Pesquisas recentes também vêm identificando este mesmo conflito, que afeta pacientes e terapeutas; contudo, superá-lo é uma tarefa ainda mais difícil do que se imaginaria ou se desejaria. Essa interseção entre psicologia e religiosidade mostra-se um campo extremamente delicado. São saberes e práticas bastante distintos, que demandam do profissional muita cautela e respeito. Correntes de pensamento científico emergentes têm demonstrado esse reconhecimento à dimensão religiosa, acolhendo-a enquanto campo disciplinar equiparado, sem buscar reduzi-la a uma teoria científica. Acreditamos que a psicologia de Carl Gustav Jung tem muito a contribuir na construção desse canal de diálogo e compreensão entre os dois campos. Entre Deus e a razão encontraremos a alma humana, outrora abandonada por cientistas e religiosos e que finalmente encontrou voz no psiquiatra suíço. Aliás, há quem considere a psicologia de Jung como uma psicologia religiosa, e veja em sua psicoterapia uma essencial atitude religiosa. Com este entendimento, vamos identificando uma ponte entre esses dois modelos de pensamento, isto é, ciência e religião, que em outra oportunidade julgaríamos irreconciliáveis. O pensamento de Jung, sua visão de religiosidade e do sagrado, sua compreensão do desencantamento do homem moderno e seu método terapêutico oferecem uma importante contribuição para lidar com este conflito. O estudo assinala uma necessidade de abertura para a abordagem da religiosidade em clínica, o que nem sempre é fácil ou simples por se tratar de um delicado campo interdisciplinar. Aponta, ainda, para um novo momento, um momento pós-secular, que demanda um novo modelo religioso que se adeque ao espírito crítico do homem atual, onde a psicologia analítica tem muito a oferecer, abordando e cuidando da alma humana, canal entre psicologia e religião, via de trabalho do psicoterapeuta
Abstract: Already in his time Jung pointed at the lack of openness by science and the spirit of that period for contemplating religiosity in their reflections and, consequently, considering it in their practices. Thus, the Swiss psychiatrist indicated a dichotomy in the modern man‟s psyche that was being developed within a conflictual dynamics, where scientific, materialistic and critical thought overlapped religion and, consequently, the natural religious function of psyche. It was thereby evidenced a clash between science and religion, the first having been dominated and subjected to the second in preceding centuries, but now having imposed its domain and rejected recognition to the second with the same tenacity. Recent research has also identified this same conflict that affects patients and therapists; however, overcoming it is an even more difficult task than one could imagine or wish. This intersection between psychology and religion proves to be an extremely sensitive area. Those are knowledges and practices quite distinct, that require extreme caution and respect from the practitioner. Emergent scientific streams of thought have shown this acknowledgement to religious dimension while welcoming the equivalent disciplinary field without seeking to reduce it to a scientific theory. We believe that the psychology of Carl Gustav Jung has much to contribute in the construction of a channel for dialogue and understanding between the two fields. Between God and reason we will find the human soul, once abandoned by scientists and religious men, having finally found a voice in the Swiss psychiatrist. Moreover, some consider Jung's psychology as a religious psychology, considering his psychotherapy as an essentially religious attitude. With this understanding, we identify a bridge between these two thinking models, namely, science and religion, which in another time would be seen as irreconcilable. Jung‟s thinking, his view of religion and the sacred, his comprehension of modern man‟s disenchantment as well as his therapeutic method provide us with a substantial contribution to dealing with this conflict. The study indicates a need for openness to approach religiosity in therapeutic setting, which is not usually easy or simple due to its sensitive interdisciplinary field. It also points at a new time, a post-secular time, which demands a new religious paradigm that suits the critical spirit of modern man, where Analytical Psychology has much to offer, addressing and attending to the human soul, a channel between psychology and religion, a working path for the psychotherapist
Palavras-chave: Psicologia analítica
C. G. Jung
Psicoterapia
Religiosidade
Religião
Analytical psychology
C. G. Jung
Psychotherapy
Religiosity
Religion
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Martins, Caio Vinicius. A concepção de religiosidade no pensamento junguiano: questões e perspectivas. 2014. 105 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15367
Data de defesa: 15-Sep-2014
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Caio Vinicius Martins.pdf658,62 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.