???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15606
Tipo do documento: Dissertação
Título: O arquétipo do pai na cultura patriarcal: um estudo sobre a relação pai-filho e seus reflexos na subjetividade do homem atual
Autor: Donha, Marcus Cezar
Primeiro orientador: Ramos, Denise Gimenez
Resumo: O presente estudo tem como finalidade uma discussão da identidade masculina intrinsecamente associada à concepção de paternidade. Através da constelação do arquétipo do Pai na cultura patriarcal, o autor estuda a relação pai-filho e seus reflexos na identidade masculina do homem atual. Para a realização desse trabalho, inicialmente alguns aspectos históricos, mitológicos, sociais e políticos são levantados, ressaltando a instauração do patriarcado e as conseqüências advindas dessa revolução na subjetividade de ambos os gêneros. Adota-se uma abordagem junguiana e recorre-se às considerações teóricas de Carlos Byington sobre o desenvolvimento de uma Psicologia estrutural-evolutiva ou simbólica. Ao focalizar a relação pai-filho e a estruturação da identidade masculina, utilizam-se os conceitos de dinamismos estruturantes da psique (matriarcal, patriarcal e alteridade e cósmico) para se obter uma melhor compreensão da saída do menino do universo matemo para o seu ingresso no universo paterno. Cobre-se o percurso do desenvolvimento da psique masculina na relação que estabelece com seus complexos parentais e, para ampliar a reflexão, retomamos os ritos de passagem de algumas sociedades primitivas e seu significado para o menino, bem como o modo como esses ritos operam em nossos dias. A História da cultura ocidental propiciou a constelação do arquétipo do Pai e o exercício da paternidade de forma bastante rígida e dogmática. A partir das recentes mudanças sociais, políticas e econômicas, do crescente espaço e poder adquiridos pela mulher nas últimas três décadas e das transformações decorrentes nas ideologias familiares, evidencia-se a relatividade da eficácia das estruturas patriarcais nessa virada de século. O presente estudo pretende rastrear a necessidade do resgate de aspectos anímicos na subjetividade masculina, acreditando que a consideração da anima na psique do homem deverá conduzi-lo a um processo de individuação, no qual a consciência patriarcal cede espaço para a consciência de alteridade. Vislumbram-se grandes modificações para as próximas gerações no que diz respeito a uma identidade masculina menos polarizada, pressupondo relações mais democráticas entre o casal e seus filhos. Dessa forma, os resultados obtidos frente ao avanço do exercício de uma paternidade mais ampliada na família deverá propiciar ao filho uma relação mais íntima com o pai, facilitando para o menino a busca confiante da conquista de sua identidade masculina
Abstract: The present dissertation aims at a discussion of the masculine identity closely related to the concept of fatherhood. To estimate the modes of the father archetype's achievement in the patriarchal culture, the author focuses on the relashionship father-son and its outcome for the maculine identity of the contemporary men. Historic, mythological, social and political aspects are taken into account with emphasis on the coming of the patriarchate and its consequences for the subjectivity of both genders. A general junguian approach is applied along with the more specific theoretical propositions of Carlos Byington concerning the development of a Symbolic Psychology. For an overview of the father-son relationship and of the structuring of the masculine identity, the concepts of structuring dynamisms of the psyche (matriarchal, patriarchal, alterity and cosmic cicles) are used for a better understanding of the process through which the young man leaves the mother world and enters the father world. The development of the masculine psyche is covered in what concerns the relation established with the parental complexes; in order to broaden the discussion, rites of iniciation in primitive societies as well as the manner in which they are undertaken nowadays are considered. The history of eastern culture has favored the constellation of the father archetype and the holding of fatherhood in a rather rigid and dogmatic way. Following recent social, political and economical changes, the growing power and scope achieved by women in the last three decades have made it possible for the boy to confidently search for the conquest of his masculine identity
Palavras-chave: Dinamismos parentais
Identidade masculina
Paternidade
Relacoes pai-filho
Subjetividade
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Donha, Marcus Cezar. O arquétipo do pai na cultura patriarcal: um estudo sobre a relação pai-filho e seus reflexos na subjetividade do homem atual. 1998. 154 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1998.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15606
Data de defesa: 1-Dec-1998
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marcus Cezar Donha.pdf5,38 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.