???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16899
Tipo do documento: Tese
Título: Insegurança e criminalidade urbana: um estudo sobre estratégias midiáticas em telejornais
Título(s) alternativo(s): Insecurity and urban criminality: a study on media strategies on television news
Autor: Mattos, Alexandre Pereira de 
Primeiro orientador: Spink, Mary Jane Paris
Resumo: Esta pesquisa tem como foco a insegurança ontológica. Na psicologia, a insegurança é trabalhada como substrato da experiência de pessoalidade a partir dos processos de socialização que encontramos nas teorizações de Winnicott e, dentro de uma perspectiva da psicologia social, nas de Mead. Na contemporaneidade a insegurança está associada aos riscos que atravessam nossas práticas cotidianas dentre elas a criminalidade violenta. Em meio às diversas possibilidades de contato com a criminalidade, a mídia se insere como uma delas por ser uma discursividade que exerce o poder de fazer circular versões de realidade pela utilização de recursos linguísticos e semióticos, cuja combinação pode produzir maior poder de convencimento frente ao público receptor. Portanto, objetivamos neste estudo demonstrar como notícias sobre criminalidade violenta veiculadas em telejornais alimentam a insegurança. A partir dos aportes da psicologia discursiva e da sociosemiótica, analisamos três reportagens em dois telejornais distintos, procurando destacar o papel que as imagens e os discursos falados exercem no convencimento e alimentação da insegurança. A análise nos mostrou que as dimensões da insegurança são alimentadas quando a mídia, em sua estratégia discursiva, apresenta o mundo como incerto e pouco confiável pelo posicionamento moral dos telejornais em relação ao desviante, pelo uso estratégico de saberes especializados, pela a maneira com que é retratada a fragilidade da vítima e a impunidade. O uso das imagens, articulados com o discurso verbal, nos remete à falta de confiança na humanidade do outro, à imponderabilidade dos riscos na medida em que qualquer um pode sofrer o mesmo agravo que a vítima (identificação) e à falta de suporte e acolhimento na esfera da Justiça. Todos esses elementos acionados potencializam as dimensões da insegurança e pela maneira como as notícias são estruturadas, não há como isentar a mídia de certa intencionalidade em produzir efeitos que visam contribuir para a cultura do medo. A relevância deste estudo, a nosso ver, deve-se a possibilidade de darmos visibilidade a este processo
Abstract: This thesis focuses on ontological insecurity. In psychology, insecurity is elaborated as substrate of personhood experience from socialization processes found in theoretical approaches of Winnicott and within a perspective of social psychology, Mead´s. Today insecurity is linked to the risks that are embedded in our daily practices including violent crime. Among the various possibilities for contact with crime, the media falls as one of them for being a discursivity which exercises the power to circulate versions of reality by the use of linguistic and semiotics resources, whose combination can produce greater power to convince the receiving public. Therefore, our main goal in this study is to demonstrate how news about violent crimes on television feed insecurity. From the theoretical standpoint of discursive psychology and social semiotics, we analyze three reports on two distinct television programs, in order to highlight the role that the images and spoken words perform in convincing and feeding insecurity. This analysis showed us that the dimensions of insecurity are fed when the media, in its discursive strategy, presents the world as uncertain and quite deceitful due to the moral positioning of the television news in relation to the deviant, by the use of specialized knowledge, portraying the victim's fragility and overall impunity. The use of images, articulated with verbal speech, leads us to realize the lack of humanity in others, the imponderable of the risks insofar anyone can suffer the same damages as the victim´s (identification) and the lack of support and protection in the sphere of Justice. All of this put together enhances the sense of insecurity and, the way the news is structured, there is no way to exempt the media from the intention of producing the effects that contribute to the culture of fear. The relevance of this study, as we see it, is the possibility of putting a spotlight over this process
Palavras-chave: Insegurança
Mídia
Construcionismo social
Criminalidade urbana
Práticas discursivas
Insecurity
Media
Social constructionism
Urban crime
Discursive practices
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social
Citação: Mattos, Alexandre Pereira de. Insecurity and urban criminality: a study on media strategies on television news. 2010. 169 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16899
Data de defesa: 5-Nov-2010
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alexandre Pereira de Mattos.pdf3,02 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.