???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17565
Tipo do documento: Tese
Título: Significados do trabalho informal em Luanda: luta, coragem e persistência nas vozes dos jovens migrantes
Título(s) alternativo(s): Meanings of informal work in Luanda: struggle, courage and persistence in the voices of the young migrants
Autor: Samba, Simão João 
Primeiro orientador: Baptista, Myrian Veras
Resumo: O presente trabalho foi desenvolvido na província de Luanda, capital da República de Angola, a partir das experiências de trabalho e de vida dos jovens migrantes envolvidos com o trabalho informal, mais especificamente a venda ambulante. O objetivo foi analisar os significados que os jovens migrantes, trabalhadores informais em Luanda, atribuem às suas experiências, bem como os motivos que os levaram ao envolvimento com tais atividades. A compreensão dessas atividades informais contribui para a superação das condições precárias de trabalho e sobrevivência dos jovens, uma vez que vivem, em sua maioria, em contexto marcado por extrema pobreza, vulnerabilidade, exclusão e desigualdade social. Entende-se que o conhecimento e a análise dos significados atribuídos por esses jovens às suas histórias e vivências, assim como os motivos do envolvimento deles nas atividades informais, constituem temas atuais e socialmente importantes, atendendo aos poucos ou à quase inexistência de estudos que abordem essa realidade a partir da visão de quem nela esteja envolvido. É um estudo qualitativo, fundamentado na teoria social de Marx, mais concretamente na perspectiva analítica do materialismo dialético crítico. Participaram do estudo 16 jovens migrantes, trabalhadores informais em Luanda, de ambos os sexos, com idades entre 18 e 35 anos. Foram utilizadas como técnicas de coleta de informações a observação participante e sistemática e entrevistas grupais orientadas por roteiro previamente elaborado, ambas complementadas por pesquisas bibliográfica e documental. Um diário de campo serviu para registrar as informações necessárias, as quais, posteriormente, contribuíram para a análise das informações obtidas e apresentadas neste trabalho. Os depoimentos dos jovens apontaram o trabalho informal como alternativa e estratégia de sobrevivência, que atendem à falta de postos de trabalho que pudessem absorvê-los. Por outro lado, mostraram que há uma repressão a esse tipo de trabalho, por parte do Estado, sem que este ofereça alternativas que lhes possibilitem a sobrevivência. Apontaram também que os jovens não têm o trabalho informal como projeto de vida, tanto é que muitos deles estão se empenhando em estudos que, acreditam, poderão abrir-lhes outras e novas oportunidades de emprego. A migração desses jovens para as capitais das províncias em busca de melhores condições de vida, de trabalho, de segurança, de proteção e de novas oportunidades, ocorreu principalmente em decorrência da guerra e da falta de investimentos nas zonas rurais. Conclui-se, que o trabalho informal é alternativa e estratégia dos jovens para superarem a falta de emprego e as múltiplas perdas e misérias que atravessam suas histórias e trajetórias de vida, incluindo a falta de condições para manter-se com dignidade e oferecer o essencial aos seus filhos e dependentes. Essas situações evidenciam a necessidade de pensar-se em políticas sociais e públicas capazes de alcançar os anseios, as aspirações e as expectativas desses sujeitos e garantir sua proteção, enquanto espaços de construção de novas formas e possibilidades de vida de quem se encontra destituído de seus direitos fundamentais
Abstract: This work was carried out in Luanda, capital of the Republic of Angola, from the experience of work and life of young migrants involved in informal work in Luanda, specifically the street vendors. The objective was to analyze the meanings that young migrants involved in informal work in Luanda, attach to their experiences as well as the reasons that led then to the involvement of such activities. Understand these informal activities and understand as well how it contribute to overcame their poor working conditions and the survival of this young vendors, since they live mostly in a context marked by extreme poverty, vulnerability, exclusion and social inequality. It is understood that the knowledge and analysis of the meanings of these young people attribute to their stories and experiences, as well as the reasons for their involvement in informal activities, current issues are social important, given the few or almost no studies that address this reality from the view of who is involved in it. It is a qualitative study, based on Marx's social theory, specifically in the analytical perspective of dialectical materialism critical. The study included 16 young migrants, informal workers in Luanda, of both sex, aged between 18 and 35 years. We used as data collection technique of participant observation and systematic interviews and group oriented script prepared in advance, both complemented by bibliographic and documentary research. A field diary was used to record the necessary information, which later contributed to the analysis of information obtained and presented in this paper. The testimonies of this young people pointed out the alternative of the informal work as a mean of survival strategy, which cater to the lack of jobs that could absorb them. On the other hand, showed that there is a crackdown on this type of work, by the state, without the state providing alternatives to enable them to survive. It also pointed out that those young people do not have the informal work as a project of their life; many of them are doing this informal work and studying at the same time, which they believe could open employment opportunities for then. The migration of these young people to the capital in search of a better living conditions, work, security, protection and opportunity, was mainly due to the war and lack of investment in rural areas. It is concluded that informal work is an alternative and strategy of those young people to overcome the lack of jobs and the multiple losses and miseries that they go through their life stories and trajectories, including the lack of conditions to keep up with dignity and provide the essential to their children and dependents. These situations highlight the need to think in social and public policies capable of achieving the desires, aspirations and expectations of these individuals and ensure their protection, while construction of new spaces of possibilities and ways of life of those who are deprived of their fundamental rights
Palavras-chave: Juventude
Trabalho informal
Comércio ambulante
Desigualdade e exclusão social
Guerra civil
Pobreza e desemprego
Youth
Informal work
Petty trade
Inequality and social exclusion
Civil war
Poverty and unemployment
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Serviço Social
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social
Citação: Samba, Simão João. Meanings of informal work in Luanda: struggle, courage and persistence in the voices of the young migrants. 2012. 285 f. Tese (Doutorado em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17565
Data de defesa: 7-Feb-2012
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Simao Joao Samba.pdf24,18 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.