???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17614
Tipo do documento: Tese
Título: Tráfico internacional de mulheres: nova face de uma velha escravidão
Autor: Sousa, Tania Teixeira Laky de 
Primeiro orientador: Martinelli, Maria Lúcia
Resumo: Constitui motivação do presente estudo o fato de o tráfico de seres humanos, nas suas diversas formas, ter conhecido significativo olhar midiático na última década, assumindo relevante importância na agenda política de governos e organizações internacionais. A publicação de diversos relatórios internacionais e a elaboração de pesquisas de dimensão regional, que anunciam o crescente número de pessoas afetadas pelo fenômeno e o aumento da sua abrangência territorial, desdobrando-se em manifestações diversas com recurso a múltiplas estratégias de atuação, vêm suscitando a atenção pública sobre uma realidade que envolve graves violações dos direitos humanos. Não sendo um fenômeno recente, o tráfico de seres humanos tem assumido dimensão transnacional de âmbito globalizado, emergindo como um negócio lucrativo que agrega procedimentos sofisticados e evasivos geridos por organizações criminosas, sendo anunciado como a terceira atividade ilícita mais rentável no mercado global. Essa recente, e rápida, expansão do fenômeno, decorre da carência de dispositivos adequados de controle e enfrentamento dessas atividades, aliadas à tolerância social instalada em face das estratégias de aliciamento utilizadas pelas redes de tráfico de seres humanos, que visam grupos sociais concretos, que constituem o contingente de população afetada pelas desigualdades sociais, pela estigmatização e discriminação, e pela instável capacidade de sustentação financeira, originadas pelas cíclicas crises do sistema capitalista que, por todo o mundo, vai criando nichos potenciais de pessoas passíveis de serem recrutadas e exploradas como força de trabalho rentável. Dentre essas diversas modalidades, o tráfico de mulheres, jovens e adultas, para o mercado sexual representa mais de três quartos das pessoas traficadas a cada ano, configurando-se, pela sua natureza e extensão, como um dos processos mais hediondos de violação de direitos e atentado à dignidade humana. Entendemos, em tese, que o conjunto de práticas concretas que configuram o processo de aliciamento, recrutamento, transporte e exploração de mulheres no âmbito do tráfico internacional, constitui uma forma renovada de escravidão, reproduzindo-se, sob a nova roupagem da lógica do mercado, esquemas de dominação, submissão e apropriação da vida de seres humanos que retomam, com contornos de agravada violência, práticas e representações sociais consideradas debeladas pelo processo civilizatório da modernidade. Pretendemos, com este estudo, analisar e compreender as circunstâncias e as motivações que suportam o recrudescimento dessa forma de exploração, procurando aferir os limites e as possibilidades que os dispositivos legais configurados no âmbito nacional e internacional, bem como as estratégias de combate ao fenômeno, possuem para enfrentar as dinâmicas de atuação e a capacidade de permanência do tráfico de seres humanos no âmbito das relações que permeiam a ordem política e social instituída. Este estudo pretende, portanto, desconstruir os limites conceituais, metodológicos e operativos que conformam os estudos sobre o tráfico internacional de mulheres, partindo de procedimentos de análise que coloquem de modo mais relacional, e menos determinístico, amplo conjunto de condicionantes, com o objetivo de fomentar o rompimento dos silêncios, cujo foco seja os sujeitos, agentes no processo, e o objeto, os contextos de produção daquelas formas de violência
Abstract: The motivation of the present study lies in the fact that human trafficking, in its diverse forms, has known significant mediatic look in the last decade, assuming relevant importance on the political agenda of governments and of international organizations. The publication of various international reports as well as the development of regional dimension researches -- announcing the increasing number of people affected by the phenomenon and the increase of its territorial coverage, unfolding in several demonstrations using multiple action strategies -- have been raising public attention on a reality which involves serious human rights violations. The human trafficking, which is not a recent phenomenon, has assumed a transnational dimension, globalized in scope, emerging as a lucrative business that aggregates sophisticated and evasive procedures conducted by criminal organizations, being announced as the third most profitable illicit activity in the global market. This recent and rapid phenomenon expansion is a result of the lack of both adequate control devices and facing these activities, combined with the installed social tolerance in the face of allurement strategies used by the human trafficking networks targeting specific social groups which represent the population contingent affected by social inequalities, by stigmatization and discrimination, and by the unstable affordability arising from cyclical crises of the capitalist system that creates potential niches of people that can be recruited and exploited throughout the world as a profitable workforce. Among these modalities manifold, the trafficking of women and girls for the sex trade represents more than three quarters of the people who are trafficked each year, depicting itself, due to its nature and extent, as one of the most hideous processes of human rights violations and attacking on human dignity. We understand, in theory, that the set of concrete practices that shape the process of allurement, recruitment, transportation and exploitation of women in the international trafficking context is a new slavery form, reproducing itself under the new guise of market logic, domination schemes, submission and appropriation of the life of human beings who retake, within an aggravated violence pattern, social representations and practices deemed eradicated by the modernity civilizing process. With this study, we aim at analyzing and understanding the circumstances and the motivations that endures the resurgence of this exploitation form, seeking at checking the limits and possibilities that the national and international regulations, as well as the phenomenon combating strategies, have for facing both the action dynamics and the permanence ability of human trafficking in the scope of relationships which permeate the established social and political order. Hence, this study intends to deconstruct the operational, methodological and conceptual boundaries that conform studies on women international trafficking. It departs from analysis procedures that place, in a more relational and less deterministic way, a wide set of constraints aiming at encouraging the breaking of silences whose focus are the subjects, actors in the process, and the object, the production contexts of those violence forms
Palavras-chave: Tráfico de pessoas
Mulheres
Exploração sexual
Vítimas
Direitos humanos
Human trafficking
Women
Sexual exploitation
Victims
Human rights
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Serviço Social
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social
Citação: Sousa, Tania Teixeira Laky de. Tráfico internacional de mulheres: nova face de uma velha escravidão. 2012. 382 f. Tese (Doutorado em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17614
Data de defesa: 7-Dec-2012
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tania Teixeira Laky de Sousa.pdf5,81 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.