???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18438
Tipo do documento: Dissertação
Título: Prisão e aids: da (im)possibilidade de usar a camisinha na visita íntima
Título(s) alternativo(s): Prison and aids: the (im)possibility of using condom in the conjugal visits
Autor: Edo, Roberta 
Primeiro orientador: Spink, Mary Jane Paris
Resumo: Dados recentes sobre o crescimento da epidemia de aids têm apresentado índices crescentes de infecção pelo HIV em populações prisionais (Marins, 1996; Lopes, 1999) e em mulheres (Villela&Diniz, 1998; Spink, 1999). O objetivo deste trabalho é contribuir para reflexões acerca das práticas de prevenção da aids num segmento bastante específico da população: as companheiras dos presos da Casa de Detenção de São Paulo. O foco desta pesquisa foi entender o uso ou não de preservativo na interface entre o contexto prisional e o contexto da visita íntima. Partimos, assim, do pressuposto de que as companheiras dos detentos estão duplamente vulneráveis à infecção pelo HIV: por se tomarem parte da cadeia de transmissão característica do sistema prisional e pela hierarquia de gênero que as colocam em situação de maior vulnerabilidade. A entrevista realizada com uma companheira de detento constituiu o foco da análise. Os questionários (n=2.230) e duas entrevistas de curta duração, realizadas na fila de visita, foram analisados para mapear dados sociodemográficos e verificar o uso de camisinha por companheiras dos detentos. Inicialmente foi realizada uma descrição da Casa de Detenção de São Paulo, a partir de observações de tipo etnográfico. Os dados coletados por meio de questionário foram analisados quantitativamente. Por fim, foi realizada uma classificação temática das entrevistas, por meio da qual foram identificados sentidos produzidos sobre a aids e ao não uso de camisinha na situação da visita íntima. De uma maneira geral, os resultados encontrados mostram que o conhecimento e os sentidos atribuídos à aids e, conseqüentemente, ao não uso de camisinha, justificam-se pelas histórias de amor construídas nas relações entre mulheres e homens. O amor, descrito como uma relação de confiança, é visto como garantia para não se infectarem pelo HIV
Abstract: Recent data about the aids have shown epidemic in crease among the prison population (Marins, 1996; Lopes, 1999) and women (Spink, 1999; Villela, 1998). The aim of the present study is to contribute to the reflection on practices of aids prevention focusing specifically the women visitors of in mates of the Casa de Detenção (penitentiary) in São Paulo and the use of condom, considering the interface of the prison context and the conjugal visits. The assumption is that these women are more exposed to the HIV infection not only because of the gender vulnerability but also because they are part of the transITÚssion chain characteristic of the prison contexto A number of 2.230 questionnaires were applied and two brief interviews made with women standing in the long queue for the visiting. The collected data were analysed to delineate a social-demographic profile of these women and to verify the use of condom for pregnancy and aids prevention. Two interviews with one of the woman visitor were also analysed based on the description of Casa de Detenção de São Paulo, on the quantitative analysis of the questionnaires and from a classification of the interviews in themes. Our study indicates that the use of condom is not considered necessary for aids prevention by the women visitors. They justify that they are protected by a relationship based on confidence and they do not identify themselves as exposed to risk
Palavras-chave: Prisão
Visita íntima
Aids
Mulheres
Prevenção e produção de sentido
Prison
Conjugal visits
Women
Prevention and meaning production
Sindrome de imunodeficiencia adquirida -- Prevencao
Prisoes -- Sao Paulo, SP
Producao de sentido
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social
Citação: Edo, Roberta. Prisão e aids: da (im)possibilidade de usar a camisinha na visita íntima. 2000. 164 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2000.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18438
Data de defesa: 30-Nov-2000
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Roberta Edo.pdf22,13 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.