???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18468
Tipo do documento: Tese
Título: Psicologia sócio-histórica e políticas públicas: a dimensão subjetiva de fenômenos sociais
Autor: Gonçalves, Maria da Graça Marchina 
Primeiro orientador: Lane, Silvia Tatiana Maurer
Resumo: o objetivo deste trabalho foi analisar a dimensão subjetiva presente no campo das polfticas públicas, a partir da psicologia sócio-histórica, a fim de apresentar referências para a atuação dopsicólogo nessa área. o referencial teórico e metodológico da psicologia sócio-histórica permite reconhecer o sujeito e a subjetividade como construções históricas, denunciando o caráter naturalizante da maior parte da produção da psicologia, que trata o indivíduo de maneira universal, desconsiderando a historicidade da subjetividade. Em contraponto a essa visão naturalizante, que mascara o caráter ideológico de formulações sobre o indivíduo, apresenta-se a visão da psicologia sócio-histórica, que afirma o homem como sujeito histórico. o trabalho enfocou um campo de atuação profissional do psicólogo que, embora não seja tradicional, apresenta-se, por um lado, como urgência social e, por outro, como possibilidade de desenvolvimentoda própria Psicologia.O campo das políticas públicas foi considerado a partir de sua história no interior do desenvolvimentodo capitalismo. Mas, reconhecido como um campo social, foi considerado na sua dimensão subjetiva. Discutiuse que a dimensão subjetiva presente nos fenômenos sociais próprios do campo das políticas públicas deve ser considerada pelos profissionais que elaboram tais políticas e atuam a partir delas e que a Psicologiatem o que dizer a respeito. Discutiu-se também que os propósitos das políticas públicas devem ser os de emancipação dos indivíduosafetados por elas. Por isso, deve-se reconhecer, na formulação das políticas a presença de concepções de sujeito e de subjetividade diversas, avaliando as implicações decorrentes de cada uma. Quando se adota a concepção de que o sujeito é histórico, isso significa, no campo das políticas públicas, propor formulações que garantam que as políticas sejam democráticas; reconheçam os direitos sociais básicos; promovam a cidadania; contem com a participação dos sujeitos a quem se destinam; criem condições para experiências de contatos, relações e vivências diversas; e que suponhamum sujeito capaz de atuar na direção de construir novas alternativas de vida, sempre emancipadoras dos homens. Nessa direção, a realização do indivíduo como sujeito histórico reconhece seu vínculo com a coletividade e seu compromissocom a transformação social
Abstract: This work aims to analyze the subjective dimension in the public politics, through the point of view of social historical psychology, in arder to present references to the professional practice in this field. The theoretical and methodological approach of social historical psychology allows us to recognize the subject and the subjectivity as historical constructions, revealing the naturalizing character of the major part of psychology production, which treats the individual as a universal entity, discharging the historicity of subjectivity. Opposite to this naturalizing point of view, the social historical psychology asserts the individual as a historical subject. The thesis focuses a psychologist professional practice field that although not traditional, represents a social urgency by one side and a possibility of Psychology development itself by the other side. The field of public politics was hereby considered within the development of capitalism; but once admitted as a social field, it was considered in its subjective dimension. It was here discussed that the subjective dimension presented in the social phenomena of the very field of public politics must be considered by the professionals who are responsible for working out these policies and who act according to them; moreover, the PsychologylIaswhat to say abolirit. It was algo discussed that public politics must intend to emanciparethe individuaisaffected by them; therefore, one must be aware of different conceptions of subject and subjectivity present in their design, evaluatingthe implicationsof each one of them. The assumption of a historical subject in the public politics matter means to propose formula to guarantee that politics are democratic; that they recognize basic social rights; that they promete citizenship; that they propose and count on the addressee participation; that they create conditions for the sharing of diverge contacts, relationships and experiences; and that they suppose a subject abre of acting in buildingnew life alternatives, always emancipating of mankind. Directed this way, the individual fulftllment as a historical subject admits bis tie to the community and bis commitment to the social transformation
Palavras-chave: Politicas publicas
Subjetividade
Psicologia socio-historica
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social
Citação: Gonçalves, Maria da Graça Marchina. Psicologia sócio-histórica e políticas públicas: a dimensão subjetiva de fenômenos sociais. 2003. 205 f. Tese (Doutorado em Psicologia: Psicologia Social) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2003.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18468
Data de defesa: 30-Dec-2003
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maria da Graca Marchina Goncalves.pdf9,63 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.