REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Pós-Graduação em Literatura e Crítica Literária
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/20088
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorFerreirinha, Carlos Augusto dos Santos-
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4308865T9por
dc.contributor.advisor1Junqueira, Maria Aparecida-
dc.date.accessioned2017-05-15T16:24:59Z-
dc.date.issued2017-04-27-
dc.identifier.citationFerreirinha, Carlos Augusto dos Santos. Formas de recriação do mito em contos de Mia Couto. 2017. 129 f. Dissertação (Mestrado em Literatura e Crítica Literária) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.por
dc.identifier.urihttps://tede2.pucsp.br/handle/handle/20088-
dc.description.resumoO objetivo deste trabalho é refletir sobre formas de recriação de Mitos afro-moçambicanos nas narrativas “A Lenda de Namarói” (2012), “A infinita fiandeira” (2009) e “Nas águas do tempo” (2012), de Mia Couto. A problematização interroga: até que ponto os Mitos africanos implicam o processo de instituição identitária e social da comunidade africana e, por extensão, da moçambicana? Como Mia Couto apreende essas estéticas míticas em suas narrativas? Duas hipóteses foram selecionadas: o Mito inscreve uma afirmação na construção e institucionalização da vida e do Regime de Verdade do sujeito afro-moçambicano; a narrativa de Mia Couto recupera e recria estéticas e estruturas míticas da cultura moçambicana, de modo a manter viva a veracidade e a crença nos Mitos como matriz de pensamento real e válida. Como fundamentação teórica para a abordagem do Mito, valemo-nos dos conceitos de Anti-Narciso Outramento (CASTRO, 2015), Regime de Verdade (FOUCAULT 1999) e Tautegoria (SCHELLING, 2007); no que diz respeito ao processo de recriação das estéticas míticas na composição literária, utilizamos o conceito de transcriação, de Haroldo de Campos (1992), assim como proposições sígnicas semióticas de Charles Sanders Peirce (2000) e de Octavio Paz (1976). Observa-se que Mia Couto recupera e presentifica as composições estéticas e estruturais míticas como forma de institucionalizar e dar voz à oralidade, à matriz de pensamento e ao Regime de verdade do sujeito afro-moçambicano enquanto realidade viva e presentepor
dc.description.abstractThe aim of this assignment is to reflect on the ways of recreating Afro-Mozambican myths in the narratives “A Lenda de Namarói” (2012), “A infinita fiandeira” (2009) e “Nas águas do tempo” (2012), by Mia Couto. The problematization questions: to what extent do the African Myths imply the process of identify and social institution of the African community and, by extension, of the Mozabican? How does Mia Couto assimilates these mythical aesthetics in his narratives? Two hypotheses were selected: The Myth inscribes an affirmation in the construction and institutionalization of life and in the Regime of Truth of the Afro-Mozambican people; Mia Couto's narrative recovers and recreates the aesthetic and the mythic structures of Mozambican culture in order to keep alive the veracity and the belief in the Myths as a matrix of real and valid thought. As a theoretical basis for approaching the Myth, we highlight the concepts of Anti-Narcissus, Penser autrement (CASTRO,2015), Regime of Truth (FOUCAULT,1999); and Tautegory (SCHELLING, 2007); in relation with the process of mythical aesthetics recreation in the literary composition, we utilize the concept of transcreation, by Haroldo de Campos (1992), as well as semiotic sign propositions of Charles Sanders Peirce (2000) and Octavio Paz (1976). It is observed that Mia Couto retrieves and presentifies mythical aesthetic and structural compositions as a way of institutionalizing and giving voice to orality, to the matix of thought and to the Regime of Truth of the Afro-Mozambican subject as a living and present realityeng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucsp.br/tede/retrieve/42296/Carlos%20Augusto%20dos%20Santos%20Ferreirinha.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica de São Paulopor
dc.publisher.departmentFaculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artespor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsPUC-SPpor
dc.publisher.programPrograma de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literáriapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectContos moçambicanospor
dc.subjectMito na literaturapor
dc.subjectCouto, Mia [1955-]por
dc.subjectMozambican short storieseng
dc.subjectMyth in literatureeng
dc.subjectRegime of trutheng
dc.subject.cnpqCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::TEORIA LITERARIApor
dc.titleFormas de recriação do mito em contos de Mia Coutopor
dc.typeDissertaçãopor
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Literatura e Crítica Literária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Carlos Augusto dos Santos Ferreirinha.pdf906,84 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.