???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21855
Tipo do documento: Dissertação
Título: Pentecostalismo xamânico: o modo Terena de ser pentecostal
Autor: Gonçalves, Iago Freitas 
Primeiro orientador: Abumanssur, Edin Sued
Resumo: O movimento pentecostal se tornou tão expressivo no cenário religioso brasileiro, que alcançou os indígenas do Brasil, especificamente o povo Terena. Esses se localizam atualmente no pantanal brasileiro, no Mato Grosso do Sul. E esta pesquisa se ocupará de estudar a inserção do movimento pentecostal dentro da cultura Terena, especificamente na aldeia Moreira, localizada na cidade de Miranda-MS. Nesta aldeia, a influência cristã pentecostal sobre o povo Terena fica bem evidenciado ao analisar o número de igrejas e a quantidade de pessoas que participam desta expressão religiosa. São cinco igrejas, sendo três pentecostais, que representam cerca de 25% da população total da aldeia. É relevante notar que a influência cristã está presente entre os Terena a mais de um século e meio, desde a chegada católica, em meados do século XIX. Porém os Terena mantiveram características próprias, como sua prática xamânica. Assim, duas expressões religiosas distintas passam a coexistir. E é sobre a relação xamanismo-pentecostalismo que esta pesquisa se concentrará, investigando, por meio de revisão bibliográfica e pesquisa de campo, a maneira como xamanismo e pentecostalismo se apropriaram e se apropriam neste campo religioso, o que gerou e vem gerando um novo modo de ser pentecostal, o qual foi denominado pentecostalismo xamânico
Abstract: The Pentecostal movement became so expressive in the Brazilian religious scene that it reached the natives of Brazil, specifically the Terena people. They are especially in Brazilian Pantanal, in the state of Mato Grosso do Sul. This research will focus on studying the insertion of the Pentecostal movement within the Terena culture, specifically on Moreira village, located in Miranda-MS. On this village, the Pentecostal Christian influence on the Terena people is evidenced when the numbers of churches and the numbers of people that participate of this religious expression is analyzed. There are five churches, three Pentecostal, representing about twenty-five percent of the total population from the village. It is relevant to note that Christian influence is present among the Terena people more than a century and half since the Catolican arrival in the mid-nineteenth century. However, the Terena people kept personal characteristics, as your shamanic practice. Thus, two distinct religious expressions coexists. The focus of this research is the relationship of Shamanism-Pentecostalism based on bibliographic review and field research to investigate the ways that Shamanism and Pentecostalism have been appropriated on this religious field, what has generated a new way of being a Pentecostal, which was denominated as Pentecostalism Shamanic
Palavras-chave: Índios Terena
Pentecostalismo
Xamanismo
Terena Indians
Pentecostalism
Shamanism
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA::OUTRAS SOCIOLOGIAS ESPECIFICAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião
Citação: Gonçalves, Iago Freitas. Pentecostalismo xamânico: o modo Terena de ser pentecostal. 2018. 103 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Religião) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21855
Data de defesa: 11-Dec-2018
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Iago Freitas Gonçalves.pdf4,78 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.