???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/23015
Tipo do documento: Dissertação
Título: As concepções de envelhecimento e velhice nas políticas públicas voltadas à população idosa no Brasil e no Uruguai
Título(s) alternativo(s): Conceptions of aging and old age in public policies aimed at the elderly population in Brazil and Uruguay
Autor: Mariño, Juliana de Crescenzo Saucedo 
Primeiro orientador: Lopes, Ruth Gelehrter da Costa
Resumo: As políticas públicas podem contribuir com a reprodução ou questionamento de estereótipos e estigmas relacionados à velhice. Isso dependerá muito de qual concepção de envelhecimento foi considerada na formulação dos documentos destas políticas. Desta forma, o principal objetivo deste estudo é compreender qual a concepção de velhice e de envelhecimento que embasa determinados documentos de políticas públicas direcionadas às pessoas idosas no Brasil e no Uruguai. Trata-se de um estudo qualitativo, no qual foi realizada uma pesquisa documental (MAY, 2004) cuja análise de conteúdo seguiu o referencial teórico de Bardin (1977). A escolha seguiu um critério de relevância internacional e nacional. Desta forma, o primeiro documento analisado foi a Convenção Interamericana sobre a Proteção dos Direitos Humanos dos Idosos (2015). No caso dos documentos de escala nacional, pelo Brasil foram analisadas a Política Nacional do Idoso, a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa e o Estatuto do Idoso e pelo Uruguai, o Según Plan de Envejecimiento y Vejez. A escolha pelo Uruguai se deu uma vez que atualmente este é considerado o país mais envelhecido da América do Sul, além de ter assinado e ratificado a Convenção Interamericana sobre a Proteção dos Direitos Humanos dos Idosos. Pudemos perceber na análise que os documentos brasileiros tem como principal perspectiva teórica a do envelhecimento ativo. Diferentemente do Uruguai, o Brasil adota o Envelhecimento Ativo como único enfoque teórico a embasar os documentos de políticas públicas, sendo esta a concepção de envelhecimento que impera. Tendo isso em vista, nos questionamos: O que significa ter o envelhecimento ativo como base conceitual de políticas no Brasil? No caso do documento uruguaio analisado, pudemos perceber que a concepção de velhice e envelhecimento é outra. Toma como base a Convenção, isto é, parte da ideia de que a velhice é uma construção social e de que as pessoas idosas são sujeitos de direitos, tendo como enfoque teórico a teoria do curso de vida, apesar de algumas confusões que aparecem no texto
Abstract: Public policies can contribute to the reproduction or questioning of stereotypes and stigmas related to old age. This will depend a lot on which conception of aging was considered in the formulation of policy documents. Thus, the main objective of this study is to understand the concept of old age and aging that underlies certain public policy documents aimed at the elderly in Brazil and Uruguay. It is a qualitative study, in which a documentary research was carried out (MAY, 2004) whose content analysis followed the theoretical framework of Bardin (1977). The choice followed a criterion of international and national relevance. Thus, the first document analyzed was the Inter-American Convention on the Protection of the Human Rights of Older Persons (2015). In the case of documents of national scale, the National Policy for the Elderly, the National Health Policy for the Elderly and the Elderly Statute were analyzed by Brazil and by Uruguay, the Según Plan de Envejecimiento y Vejez. Uruguay was chosen because it is currently considered the oldest country in South America, in addition to having signed and ratified the Inter-American Convention on the Protection of the Human Rights of Older Persons. We could see in the analysis that Brazilian documents have as their main theoretical perspective that of active aging. Unlike Uruguay, Brazil adopts Active Aging as the only theoretical approach to support public policy documents, which is the prevailing concept of aging. With this in mind, we ask ourselves: What does it mean to have active aging as the conceptual basis for policies in Brazil? In the case of the analyzed Uruguayan document, we could see that the concept of old age and aging is another. It is based on the Convention, that is, part of the idea that old age is a social construction and that older people are subject to rights, having as a theoretical focus the theory of the course of life, despite some confusions that appear in the text
Palavras-chave: Idosos - Política governamental - Brasil
Idosos - Política governamental - Uruguai
Assistência à velhice
Envelhecimento da populacao
Older people - Government policy - Brazil
Older people - Government policy - Uruguay
Old age assistance
Population aging
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL::SERVICO SOCIAL APLICADO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia
Citação: Mariño, Juliana de Crescenzo Saucedo. As concepções de envelhecimento e velhice nas políticas públicas voltadas à população idosa no Brasil e no Uruguai. 2019. 55 f. Dissertação (Mestrado em Gerontologia) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/23015
Data de defesa: 16-Dec-2019
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Juliana De Crescenzo Saucedo Mariño.pdf386,1 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.