REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/27810
Tipo: Dissertação
Título: As esferas imunitárias de Peter Sloterdijk e a psicanálise de matriz ferencziana: diálogos e confrontos
Título(s) alternativo(s): The immunitary spheres of Peter Sloterdijk and the Ferenczian branch of psychoanalysis: dialogues and confrontations
Autor(es): Mello, Rodrigo Figueiredo
Primeiro Orientador: Figueiredo, Luís Claudio Mendonça
Resumo: Esta pesquisa tem como objetivo promover um diálogo crítico entre a filosofia de Peter Sloterdijk – em especial as ideias por ele apresentadas na trilogia Esferas – e a psicanálise de matriz ferencziana, representada aqui pelos psicanalistas Sándor Ferenczi, Michael Balint e Donald W. Winnicott. Apesar das semânticas diferentes entre os dois campos, propomos a ideia de que tanto Sloterdijk como os psicanalistas da matriz ferencziana estão tratando do mesmo fenômeno, a boa ou má chegada ao mundo. Em Esferas, Sloterdijk apresenta a tese original de que o ser humano é um buscador de imunidades contra as hostilidades do mundo externo. Essas imunidades são representadas por Sloterdijk por esferas relacionais, onde há um dentro protegido, e um fora hostil. No primeiro volume da trilogia, Esferas I, o autor sugere que a primeira esfera imunitária da história de um sujeito é a díade que ele forma com sua mãe ou substituto. A boa constituição subjetiva humana é fruto de um bom ambiente na chegada ao mundo, ou de uma boa esfera primária, que ele chama de bolha. Apesar de afinado com o pensamento de Martin Heidegger, Sloterdijk afirma uma disposição fundamental para o encontro, divergindo assim de maneira importante com a ontologia fundamental heideggeriana, que pressupõe uma negatividade originária. A psicanálise, a partir de Ferenczi, contemporâneo de Freud, se interessa pelo tema do trauma precoce, o bom e mau ambiente, e suas repercussões na constituição do sujeito. Seu discípulo Balint propõe a ideia de que patologias do tédio profundo e da apatia têm como etiologia uma falha básica. E, por fim, Winnicott investiga as origens da subjetividade a partir de um momento em que o bebê ainda é um não-eu, e está fusionado com seu ambiente, entendendo esse momento como fundamental na vida humana. Investigamos, na clínica e na cultura, como essas aproximações entre os dois campos podem nos ajudar a compreender a subjetividade humana
Abstract: This research aims to promote a critical dialogue between Peter Sloterdijk’s philosophy – with a special regard to the ideas presented in his Spheres trilogy – and what we call the Ferenczian branch of psychoanalysis, represented here by the psychoanalysts Sándor Ferenczi, Michael Balint and Donald W. Winnicott. Despite the different semantics between the two fields, we propose the idea that both Sloterdijk and the Ferenczian branch of psychoanalysis are dealing with the same phenomenon, the good or bad arrival of a baby in the world. In Spheres, Sloterdijk presents the original thesis that the human being is an immunities’ seeker against the hostilities of the external world. These immunities are, for Sloterdijk, represented by relational spheres, where there is a protected inside, and a hostile outside. In the first volume of the trilogy, Spheres I, the author suggests that the first immunitary sphere in an individual’s history is the dyad he forms with his mother or substitute. A good subjective human constitution is derived from a good environment experienced in the arrival in the world, or from a good primary sphere, which he calls bubble. Despite his affiliation to Martin Heidegger’s thought, when Sloterdijk defends a fundamental disposition for the encounter, he is disagreeing in a strong fashion with the Heideggerian fundamental ontology, which presupposes an original or basic negativity. Psychoanalysis, since Ferenczi, a Freud contemporary, is interested in the early trauma, the good or bad environment, and its reverberations in human constitution. His disciple, Balint, proposes that some pathologies like deep boredom or apathy have as etiology a basic fault. And, at last, Winnicott investigates the origins of subjectivity from the moment the baby is still a not-I, and is fused with his environment, seeing this moment as fundamental in human life. We investigate, in the clinic and in culture, how the approximations between the two fields can help us understand human subjectivity
Palavras-chave: Sloterdijk
Esferas
Ferenczi
Trauma precoce
Winnicott
Sloterdijk
Spheres
Ferenczi
Early trauma
Winnicott
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Mello, Rodrigo Figueiredo. As esferas imunitárias de Peter Sloterdijk e a psicanálise de matriz ferencziana: diálogos e confrontos. 2022. Dissertação (Mestrado em Psicologia: Psicologia Clínica) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2022.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/27810
Data do documento: 12-Ago-2022
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Rodrigo Figueiredo Mello.pdf775,1 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.