REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/3825
Tipo: Dissertação
Título: Unidade e fragmentação: o movimento separatista do triângulo mineiro
Autor(es): Longhi, Rogata Soares Del Gaudio
Primeiro Orientador: Almeida, Lúcio Flávio Rodrigues de
Resumo: Nosso objeto de estudo foi o movimento separatista do Triângulo Mineiro, articulado em 1988. "Minas faz a síntese do Brasil", não no sentido atribuído pela mineiridade, mas a partir das contradições intrínsecas às relações sociais que a constituem. A estas não são estranhas as contradições engendradas pelo capitalismo. E, se esta unidade da Federação faz a "síntese" do país, não haveria a possibilidade de verificar, a partir da análise de um movimento que tende a cindi-la, quais processos "nacionais" são absorvidos e (re)produzidos por ela? O movimento separatista "triangulino" de 1988 possui algumas similaridades com aqueles que objetivam a criação de "Estados Nacionais": a afirmação de uma identidade com base no território, na antigüidade histórica do movimento e na vontade popular. Todavia, ele ocorre dentro de um Estado nacionalmente constituído e, justamente, naquela unidade federativa que se auto-proclama "geratriz", "equilíbrio entre os extremos", "berço cívico da brasilidade". Dentre os "regionalismos" brasileiros, o "tipo mineiro" ocupa uma posição privilegiada: seu "mito de formação" confunde-se com a "história nacional"; há uma disseminação de seu universo cultural pelo país, fazendo com que aquele tipo adquira uma singularidade que se reconhece e é reconhecida pelos outros; por fim, os "mineiros" se consideram portadores do "equilíbrio político", fundamental à Federação. Entretanto, os "triangulinos" farão uma tentativa de criar nova identidade, a partir de uma negação-incorporação da mineiridade, onde o "gosto pelo moderno" e o "horizonte largo" se opõem à "opressão da montanha" e ao "conservadorismo". Porém, ambas as campanhas, "mineira" e "triangulina", foram articuladas pelas elites locais, apesar da aparente "vontade popular". Diante das transformações atuais do capitalismo, "comunidades imaginadas" estabelecidas são colocadas em questão, surgindo novos desafios àqueles que propõem a integridade territorial -e sua manutenção - como base de uma identidade. É neste contexto que analisamos a "questão triangulina"
Palavras-chave: Minas Gerais -- Politica e governo
Emancipacao
Identidade regional
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: BR
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Ciências Sociais
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Longhi, Rogata Soares Del Gaudio. Unidade e fragmentação: o movimento separatista do triângulo mineiro. 1997. 431 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1997.
Tipo de Acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3825
Data do documento: 30-Dez-1997
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Rogata Soares Del Gaudio Longhi.pdf
  Restricted Access
18,93 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.