REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em História
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/39955
Tipo: Dissertação
Título: Entre a demonização de Exu e o Dono do marafo curador de Santíssimo (Rio de Janeiro, 1952-1971)
Título(s) alternativo(s): Between the demonization of Exu and the owner of the marafo curator of Santíssimo (Rio de Janeiro, 1952-1971)
Autor(es): Silva, Larissa Luísa da
Primeiro Orientador: Azevedo, Amailton Magno
Resumo: O resumo tem o recorte dos anos 1952 a 1971 sobre a demonização do guardião Exu dentro da religião Umbanda. Como contrapelo a esse movimento, teremos o Exu Seu Sete da Lira com seu marafo curador no Estado do Rio de Janeiro, no bairro de Santíssimo. A proposta é analisar o Jornal de Umbanda: Orgão Noticioso e Doutrinário da União Espiritista de Umbanda, juntamente com os trabalhos apresentados ao 1° Congresso Brasileiro do Espiritismo de Umbanda, a literatura umbandista de Aluízio Fontenelle e sua obra mais famosa: Exu. Dando assim, um material vasto para se pensar nessa demonização. Em uma análise metodológica no periódico e nos seus Diretores Editoriais, é possível levantar os questionamentos do campo do poder, que também estão em diálogos diretos com a História cultural e social. Agora, sobre o as curas feitas por um Exu, teremos pessoas que buscam qualquer tipo de cura – seja ela espiritual ou carnal, e que vão em busca da Umbanda. Seja ela de forma direta ou indiretamente. Essa busca será visada com as manchetes de periódicos da época sobre as curas e o próprio Exu Seu Sete da Lira. De acordo com Alexandre Cumino, pensadores do primeiro congresso negaram a importância do exu na umbanda, juntamente com a obra de Fontenelle, que o demonizou. Mas, Renato Ortiz vai mais além dessa perspectiva, exu seria tudo aquilo que a sociedade republicana brasileira negava, o negro. Exu carrega a ancestralidade negra e a resistência da matriz africana dentro da Religião Umbandista. Exu tem a pele negra e não usa máscara branca do espírito de Dionísio, entretanto, é essa mesma máscara a ser negada pela atual sociedade pós-moderna. Exu cura. Exu é caminho. Exu é vida. Exu apenas É
Abstract: The summary has an excerpt from the years 1952 to 1971 on the demonization of the guardian Exu within the Umbanda religion. Against this movement, we have Exu Seu Sete da Lira with his wonderful curator in the state of Rio de Janeiro, in the Santíssimo neighborhood. The proposal is to analyze the Jornal de Umbanda: Noticioso e Doctrinario da União Espiritista de Umbanda, together with the works presented to the 1st Brazilian Congress of Spiritism of Umbanda, the Umbandist literature of Aluízio Fontenelle and his most famous work: Exu. Thus giving a vast material to think about this demonization. In a methodological analysis of the journal and its Editorial Directors, it is possible to raise questions from the field of power, which are also in direct dialogue with cultural and social history. Now, about the cures made by an Exu, we will have people who seek any kind of cure – be it spiritual or carnal, and who go in search of Umbanda. Be it directly or indirectly. This search will be targeted with the headlines of periodicals of the time about the cures and Exu Seu Sete da Lira himself. According to Alexandre Cumino, thinkers at the first congress denied the importance of exu in umbanda, along with Fontenelle's work that demonized him. But, Renato Ortiz goes beyond this perspective, exu would be everything that Brazilian republican society denied, the black person. Exu carries the black ancestry and resistance of the African matrix within the Umbandist Religion. Exu has black skin and does not wear the white mask of the spirit of Dionysus, however, it is this same mask that is being denied by the current postmodern society. Exu heals. Exu is the way. Exu is life. Exu just IS
Palavras-chave: História
Umbanda
Exu
Demonização
Cura
History
Umbanda
Exu
Demonization and Healing
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Ciências Sociais
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em História
Citação: Silva, Larissa Luísa da. Entre a demonização de Exu e o Dono do marafo curador de Santíssimo (Rio de Janeiro, 1952-1971). 2023. Dissertação (Mestrado em História) - Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2023.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/39955
Data do documento: 29-Set-2023
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em História

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LARISSA LUÍSA DA SILVA.pdf3,68 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.