???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4028
Tipo do documento: Dissertação
Título: A presença do negro na cidade: memória e território da Casa Verde em São Paulo
Autor: Oliveira, Reinaldo José de 
Primeiro orientador: Veras, Maura Pardini Bicudo
Resumo: Este trabalho trata da presença do negro na cidade de São Paulo, em particular, no bairro da Casa Verde, no que diz respeito a trabalhar e viver, incluindo suas manifestações sócio-culturais. O negro em São Paulo foi duplamente espoliado: de um lado, o trabalho de subproletariado e de outro, nas habitações precárias com cortiços e porões e, posteriormente, a periferia da cidade. O estudo foi realizado com base nas reconstruções da memória, onde entrevistamos moradores e ex-moradores negros do bairro da Casa Verde, bem como fontes secundárias e estatísticas. Buscou-se identificar as principais razões dos movimentos de territorialização e desterritorialização dos negros na sociedade capitalista da cidade de São Paulo e, pôde-se também, associar tais movimentos ao processo de segregação sócio-espacial. Na história do negro na cidade de São Paulo, o território configurou-se com faces variadas. No pós-abolição, negros e brancos pobres ocuparam as regiões centrais, para posteriormente, serem desterritorializados pelo poder público municipal para as áreas distantes do centro da capital paulistana. Nos dias de hoje, a desterritorialização apresenta-se também, pelas metamorfoses do capitalismo brasileiro, ou seja, a moradia onerada no mercado imobiliário faz com que os grupos de menor poder aquisitivo migrem para as regiões disponíveis, mais possíveis ao poder de consumo e, por isso, mais afastadas do centro ou do seu local de origem na cidade. Procurou-se também, mostrar a constituição do território negro na cidade de São Paulo por intermédio dos aspectos subjetivos, isto é, através das manifestações sócioculturais, sentimentos e identificações. As instituições sociais e recreativas, como as escolas de samba, umbanda, candomblé e afoxé, e a irmandade religiosa, são os espaços sociais que negros e negras edificaram na Casa Verde, produzindo o "lugar" ou "pedaço", a identidade e o uso do espaço público para colocar em práticas suas ações e lutas. Neste trabalho, poderemos acompanhar as estratégias e instrumentos utilizados para garantir a sobrevivência, e no mesmo sentido, a produção subjetiva do negro no bairro da Casa Verde
Palavras-chave: Negros -- Condicoes sociais
Negros -- Sao Paulo (SP)
Casa Verde (bairro) -- Sao Paulo (SP)
Territorialidade negra
Presenca negra
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Oliveira, Reinaldo José de. A presença do negro na cidade: memória e território da Casa Verde em São Paulo. 2002. 240 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2002.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4028
Data de defesa: 30-Nov-2002
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Reinaldo Jose de Oliveira.pdf18,08 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.