REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/4098
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorRibeiro, Rodrigo Barbosa-
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4703459H5por
dc.contributor.advisor1Rangel, Lucia Helena Vitali-
dc.date.accessioned2016-04-26T14:57:46Z-
dc.date.available2009-09-09-
dc.date.issued2001-11-29-
dc.identifier.citationRibeiro, Rodrigo Barbosa. Krahô, Cupen, Turkren: o uso de bebidas alcóolicas e as máquinas sociais primitivas. 2001. 153 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2001.por
dc.identifier.urihttps://tede2.pucsp.br/handle/handle/4098-
dc.description.resumoA utilização de bebidas alcoólicas não é uma ocorrência isolada na humanidade. Ao contrário, inúmeras sociedades, com os mais diferentes tipos de organização social, usufruem dos efeitos decorrentes do consumo desta substância. Entretanto, vivemos um momento no qual o uso droga dicto caracterizado pelo estabelecimento da dependência para com essas substâncias - vem propalando-se nos mais variados grupos sociais. Por conseguinte, cresce a preocupação em se estipular as causas de tal fenômeno, no intuito de expurga-lo do seio da vida humana. E em decorrência desse ambiente que crescem os estudos sobre o uso de psicotrópicos nas sociedades indígenas, esboçando uma forma de análise que auxilie no combate a esse mal. O presente estudo é uma tentativa de esboçar uma análise mais compreensiva dos fatores que Intervem no uso de bebidas alcóolicas entre os Krahô, que vivem ao norte do Estado de Tocantins. Nesta sociedade os contornos associados à drogadicção não se fazem presentes, embora existam efeitos problemáticos em decorrência do fenômeno abordado. Neste contexto cultural as bebidas alcóolicas não estão associadas à drogadicção tal como ela se manifesta nas sociedades ocidentais - isto é, atuando como uma forma de fuga individualizada em relação aos códigos sociais vigentes, recaindo na reterritorialização abjeta conhecida como dependência. Em verdade, constatei a existência de um uso ligado a uma máquina social que procura codificar todas as formas de desejo que correm o corpo social. Nesse esteio, podemos ver que o álcool é uma substância ligada ao xamanismo desses Timbira, criando uma forma de devir no qual há um investimento de desejo em direção a um vir-a-ser não- Timbira, a um ser cupen (homem branco) Assim, os problemas decorrentes da utilização das bebidas alcóolicas ligam-se antes à existência de um padrão de uso no qual o caráter descomedido do consumo propicia uma desfuncionalidade, evidenciando uma situação paradoxal na qual ser e não ser Krahô está associado à experimentação alcóolicapor
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico-
dc.formatapplication/pdfpor
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucsp.br/tede/retrieve/12859/Rodrigo%20Barbosa%20Ribeiro.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica de São Paulopor
dc.publisher.departmentCiências Sociaispor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsPUC-SPpor
dc.publisher.programPrograma de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociaispor
dc.rightsAcesso Restritopor
dc.subjectIndios Kraho -- Alcoolismopor
dc.subjectBebidas alcoolicas -- Indios Krahopor
dc.subjectAlcoolismopor
dc.subjectEtnologia indigenapor
dc.subjectSociedade Krahopor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADASpor
dc.titleKrahô, Cupen, Turkren: o uso de bebidas alcóolicas e as máquinas sociais primitivaspor
dc.typeDissertaçãopor
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Rodrigo Barbosa Ribeiro.pdf
  Restricted Access
9,15 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.