???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4399
Tipo do documento: Dissertação
Título: O protesto como mídia na mídia e para a mídia: a visibilidade da reivindicação
Título(s) alternativo(s): Protest as a media, on the media and for the media: the visibility of claims
Autor: Paiero, Denise Cristine 
Primeiro orientador: Baitello Junior, Norval
Resumo: Esta pesquisa estuda as relações envolvidas na comunicação do protesto como resposta pública à determinada circunstância a que se faz oposição, dirigida a dois destinatários: àquele com o qual se faz a oposição e a um público terceiro, do qual se quer apoio. Procuramos compreender: o protesto como mídia , como estabelecimento de vínculos comunicativos; o protesto na mídia , analisando como a grande imprensa brasileira repercute essas manifestações e verificando os mecanismos utilizados na construção dessas notícias e o protesto para a mídia , compreendendo como os agentes de protesto organizam suas manifestações em busca da visibilidade na grande imprensa. Analisamos ainda como esses agentes interagem, buscando compreender as diversas relações possíveis. Investigamos como a mídia é capaz de pautar protestos e como pode ser pautada. Concluímos o trabalho com um estudo de caso, que aborda a comunicação de protesto do Movimento dos trabalhadores Rurais Sem Terra, o MST. Com esta pesquisa pretendemos dar subsídios para a compreensão do protesto, especialmente da forma como ele se dá e é repercutido no Brasil atual, buscando contribuir diretamente com jornalistas que se deparam com o tema e com agentes de protestos, reduzindo a barreira entre ambos. Percebemos, em nossa pesquisa, que há uma relação de re-alimentação entre grande mídia e agentes de protesto. A conclusão do trabalho é que a mídia interfere muito nos protestos, mas, ao contrário do que avaliações maniqueístas possam supor, os protestos também interferem na mídia. A pesquisa tem caráter interdisciplinar e toma por base a Teoria da Mídia desenvolvida na Europa Central, principalmente pelo teórico da Comunicação Harry Pross, da Universidade Livre de Berlim, e por Vicente Romano, da Universidade de Sevilha. Essa teoria tem escolhido como objeto cotidiano os processos de participação, seus meios e condições. A comunicação, nessa abordagem, participa nas produções da sociedade que repercutem em seus produtores, provocando efeitos que seriam inimagináveis sem a comunicação. Essa relação entre comunicação e cotidiano, a atenção dada tanto aos mecanismos quanto aos efeitos da comunicação, alterando ao mesmo tempo, o receptor, o meio e o emissor, e o vínculo entre o homem que comunica e o homem que é produto da comunicação formam nossa fundamentação. Priorizamos o estudo de grandes veículos de comunicação brasileiros, com captação no Estado de São Paulo. Os protestos avaliados foram, majoritariamente, realizados no Brasil. O material se refere especialmente ao período de desenvolvimento da pesquisa (2003 / 2005), utilizamos também material de arquivo, a partir da redemocratização brasileira
Abstract: This research studies the relationships involved in the communication of protests as a public response to a certain circumstance to which there is opposition, aimed at two targets: the one that is opposed to and a third party, from whom support is desired. We have studied how protests are publicly expressed, trying to understand: protest as a media , as the establishment of communicative bonds; protest on the media , analyzing how the press in Brazil presents these demonstrations and verifying the mechanisms used for the construction of these pieces of news, and protest for the media , understanding how the agents of protest organize their actions in search of visibility on the press. We also analyze how these agents interact, trying to understand the various relationships that might exist among them. We investigate how the media is able to affect protests and be affected by them. We finish our monograph with a study case, which looks at how Brazil s Landless Rural Workers Movement (MST) communicates its protests. With this research we intend to foster the understanding of protests and their public manifestations, especially the way they take place and the way in which they are seen in Brazil today, looking to ways of contributing directly with journalists who face this topic and with agents of protest, reducing the barriers between them. During our research, we realized that there is a relationship of feedback between the mass media and the agents of protest. Our conclusion is that the media interferes a great deal with protests, and contrary to what biased views may assume, protests also interfere in the media. Our research is multidisciplinary and is supported by the Media Theory developed in Central Europe, especially by Communication theorist Harry Pross, from the Free University of Berlin and by Vicente Romano, from the University of Sevilla. This theory has chosen as its subject of study the processes of participation, their means and conditions. In this view, communication takes part in those productions of society that affect their producers, generating effects that could not be imagined without that communication. This relationship between communication and everyday life, the attention paid to the mechanisms as well as to the effects of communication, which change its receiver, its channel and its source, and the connection between the man who communicates and the man who is a product of that communication are the basis for our reasoning. Our main focus is the study of large Brazilian broadcasting companies that reach Sao Paulo State. The demonstrations we have analyzed took place mostly in Brazil. The material refers especially to the period in which the research was done (2003 / 2005); we have also used archives, dating from the period of Brazil s redemocratization
Palavras-chave: protesto
mídia
jornalismo
semiótica
MST
mídia primária
protest
demonstrations
media
journalism
communication
semiotics
MST
primary media
Movimentos de protesto
Imprensa - Brasil
Comunicação de massa
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Comunicação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Citação: Paiero, Denise Cristine. O protesto como mídia na mídia e para a mídia: a visibilidade da reivindicação. 2005. 226 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4399
Data de defesa: 5-Oct-2005
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Denide Cristine Paiero.pdf5,17 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.